Bleeding Edge | Review

Aposta da Ninja Theory no multiplayer competitivo é acessível e uma ótima pedida para ingressar no gênero

Jeff Kayo Publicado por Jeff Kayo
Bleeding Edge | Review

Nem só de contar belíssimas histórias aos jogadores vive a Ninja Theory. Bleeding Edge é o primeiro jogo da empresa focado completamente em gameplay. Mesmo navegando em mares pouco explorados pela equipe, ela acerta em cheio na mistura de combate, estratégia, design e trabalho em equipe.

O game é uma releitura do que vemos dentro desse universo de jogos cooperativos em geral. Um time composto por quatro jogadores, cada um executando seu papel na partida e pensando numa vitória coletiva, não apenas no troféu de mais “kills” da rodada. Toda a ação acontece em terceira pessoa, com um belíssimo visual em cel shading, um design impecável e bastante original.

Sempre online

Focado no multiplayer competitivo, Bleeding Edge não preza pelo jogador que gosta de se divertir sozinho. Ele funciona obrigatoriamente conectado em seus servidores e, com a exceção do tutorial e de uma área para treinamento, sempre vai te colocar para jogar com outras pessoas.

Bleeding Edge Miko
Miko é um personagem de suporte com bom um escudo de cura impenetrável

Apesar da parceria com a Microsoft Studios (a Ninja Theory é um dos estúdios “AAA independentes” da empresa), que deu bastante suporte ao componente online, as coisas ainda não funcionam completamente livres de problemas. No caso de nós, jogadores brasileiros, que temos como única opção nos ligarmos aos servidores das Américas, localizados exclusivamente o Hemisfério Norte (pelo menos por enquanto), é difícil termos partidas sem tropeços.

O matchmaking do jogo, a ferramenta que cria as conexões entre os jogadores em busca da melhor conexão viável para uma partida, funciona sem critérios preestabelecidos. À trancos e barrancos, ele pareia o jogador com quem estiver disponível para a partida naquele momento. Possíveis desconexões durante o combate podem ser entendidas como desistência do jogador, e aí são punidas de acordo — pessoas que aplicam o famoso “ragequit” durante um jogo, por exemplo.

Não demoramos mais do que 20 segundos para encontrar uma partida, mas provavelmente ela não será livre da latência entre as conexões de jogadores de diferentes hemisférios. Mesmo assim, elas até que são estáveis (sem interrupções), mas seriam melhores se o jogo desse a opção para o jogador criar limitações de banda para a busca de partidas (como acontece com os jogos de luta, por exemplo).

Qual a sua classe?

Bleeding Edge Buttercup
Buttercup é uma das personagens defensivas mais fortes do game

Bleeding Edge é um jogo competitivo de ação que exige um pensamento estratégico na hora de compor o seu time de quatro jogadores. O game recomenda que os membros da party escolham dois personagens de ataque, um de suporte e um de defesa. Não é uma obrigação, mas imagine-se na posição de montar um time de futebol e colocar seu goleiro no ataque? Tipo isso. Cada uma dessas classes é bastante importante para manter o equilíbrio dentro do time.

Composições mistas são possíveis de serem criadas, mas tudo vai depender muito da qualidade individual de cada jogador. Dois suportes e dois de ataque? Pode. Dois de defesa e dois de ataque? Também pode. A recomendação de equilíbrio dentro do time não é obrigatório.

Ao todo são doze personagens selecionáveis (Mekko, o golfinho piloto de mecha ainda não tinha sido liberado até a publicação do texto, mas em breve será) e eles são distribuídos da seguinte maneira: cinco deles de ataque (DPS, que causam dano), três de suporte (os que curam e aumentam os atributos do time) e quatro de defesa (os Tanks, com mais vida e força que os demais).

Bleeding Edge Gizmo
Gizmo é uma atacante muito forte à distância com metralhadoras e turretas à seu dispor

Pensar um time que cubra todas as bases de atuação é imprescindível para uma partida mais segura. Se você joga Overwatch, vai tirar de letra a formação de times e estratégias de combate. Tem até uma versão hip-hop do Genji lá — um ninja de boné que gosta de grafitar o chão e usar sua lata de spray para tontear os inimigos.

Cada um dos personagens de Bleeding Edge tem suas próprias habilidades especiais, e cada uma delas depois de utilizada passa por um processo de cooldown, como é de costume dentro desse tipo de jogo. Ao todo são três habilidades especiais mais um Super (que demora mais para carregar). Os ataques normais geralmente criam combos de três hits e é super importante aprender a se esquivar com cada um dos bonecos disponíveis — a habilidade varia entre os personagens.

O tutorial ensina tudo que é preciso saber do jogo e o modo avançado dá dicas fundamentais para a sobrevivência. Vale muito a pena treinar num ambiente controlado dentro do jogo para se acostumar com o parry, uma manobra defensiva que repele um ataque comum adversário. Dentro de uma partida oficial, usar isso ajuda bastante o jogador a contra atacar evitando um gasto desnecessário da esquiva. E nunca se esqueça: “Encontre e elimine primeiro o suporte do time adversário”, é uma dica dada pelo próprio game que deveria ser o seu Norte durante toda a jogatina.

Campo minado

A ação de Bleeding Edge acontece dentro de cinco cenários cheios de plataformas, power-ups e armadilhas. É necessário conhecer bem o terreno da disputa para se antecipar a algumas armadilhas, sejam de jogadores adversários ou do próprio ambiente em questão.

Bleeding Edge Trem
Fique de olho no trem, pois ele não escolhe vítimas

Em cada um dos cenários existem situações que colocam os jogadores em risco. Paredes de energia, trens desgovernados ou bombardeios esporádicos podem eliminar qualquer um do campo de batalha, e cabe ao jogador evitar esses pormenores ou usá-los em seu benefício.

Os cenários apresentados ao jogador de forma aleatória. Da mesma forma que acontece com o tipo de partida a ser realizada em cada um deles. As defesas de territórios são bem comuns dentro do gênero: domine a área e a mantenha sob sua proteção por mais tempo.

Um outro tipo de disputa acontece com ambos os times recolhendo células de energia, para depois depositá-las num lugar específico do mapa. Cada jogador pode carregar um número ilimitado de células, mas se derrotado antes de entregá-las, o outro time pode tomá-las para si.

Bleeding Edge Baterias
O marcador no alto da tela (ao centro) indica a quantidade de baterias de cada time que ainda não foram entregues

Bleeding Edge é um jogo tenso e que exige um pouco mais de estratégia dos jogadores. Isso porque a tela do jogo mostra apenas a quantidade de células carregada por cada time, mas não avisa quem a está carregando. A tensão só aumenta quando a área de entrega é liberada e os jogadores precisam escolher bem quem atacar primeiro. Sem dúvida alguma é o modo mais divertido do jogo.

Mods, pra quê?

Depois de algumas partidas e de alguns níveis alcançados com os personagens que mais gosta, somos recompensados com dois tipos de moedas para o consumo dentro do game. A primeira delas, em abundância, serve para comparar hoverboards mais estilosos e algumas skins de cores diferentes para cada um dos personagens.

Bleeding Edge Mods
Escolher bem seus upgrades pode surpreender seus adversários

A segunda moeda serve para destravar novos mods, pequenos chips de funcionalidades variadas e que servem para personalizar os bonecos de acordo com o seu gosto. Os mods podem ser adquiridos de duas maneiras: como premiação a cada nível alcançado, ou gastando a moeda na fabricação de novos componentes dentro da Garagem do jogo.

É com a personalização dos mods que o game aprofunda seu meta. Aumentar a vida de um DPS, dar mais velocidade a um Tank, diminuir o tempo de cooldown de uma habilidade de suporte, isso para falar apenas o básico. Essa ferramenta está profundamente atrelada ao amadurecimento do jogador enquanto aprende algumas peças fundamentais do título com o passar dos dias. Garanto que será a diferença na hora de enfrentar suas contrapartes espelhadas dentro de uma partida.

Incentivar a comunidade é a chave do sucesso

Bleeding Edge Skins
Gaste o dinheiro acumulado durante as partidas para comprar novas skins do seu personagem favorito

Atualmente, Bleeding Edge está disponível para a compra tanto na Xbox Store quanto no Steam. Ele também faz parte da assinatura do Gamepass, serviço exclusivo da Microsoft que libera uma biblioteca de jogos ao custo de uma mensalidade.

Esse tipo de abordagem com um jogo multiplayer recém-lançado faz toda a diferença, ainda mais com a alta do dólar. Quanto mais gente se interessar pelo game nas primeiras semanas de lançamentos, maiores são as chances da comunidade crescer junta e não desestimular novos jogadores.

Além de tudo isso, vale a pena ressaltar que o game funciona com o crossplay, ferramenta que possibilita jogadores de Xbox e PC jogarem num mesmo ambiente online. Neste caso em questão, não existe desvantagem alguma entre as plataformas, já que não há a necessidade de mirar no jogo. Mesmo os bonecos que lutam à distância, uma vez que você acionar a trava de mira no adversário, seu único empecilho será a distância do alvo.

Para a comunidade que gosta e acompanha a cena dos esports no geral, Bleeding Edge já vem equipado para satisfazer as necessidades básicas de uma transmissão de partida com qualidade. Com uma aba dedicada para os que desejam apenas assistir às partidas, é possível acompanhar tudo em tempo real e através das lentes de diferentes câmeras.

Bleeding Edge Stream
Aqui o usuário escolhe qual partida assistir em tempo real e até mesmo mudar as câmeras de exibição entre jogadores, fixa e livre

Nesse tipo específico de jogo competitivo, uma ferramenta que capte a ação de diversos ângulos faz toda a diferença para a difusão da cena no meio competitivo. Muitas pessoas gostam de acompanhar de perto as partidas de seus ídolos virtuais. O que faltou foi uma opção de matchmaking para que dois times fechados pudessem se enfrentar numa partida amistosa. Quem sabe no futuro?

Por enquanto, o maior problema do jogo fica por conta da quantidade de conteúdo disponível para o jogador. Onze combatentes (o 12º chega logo menos), dois modos de jogo — um modo de conquista de território e outro de entrega de baterias — e cinco cenários disponíveis desde o lançamento. Obviamente isso será atualizado com o tempo, só resta saber quanto vai demorar e como será a distribuição (paga ou gratuita).

Bleeding Edge é um ótimo multiplayer competitivo e funciona muito bem mesmo com pessoas que nunca se interessaram pelo gênero. Personagens estilosos e diversificados, um combate divertido e fácil de aprender e ainda esconde segredos aos mais dedicados que não abandonarem o game no primeiro mês. Belíssimo exclusivo da Microsoft e uma boa pedida em tempos de quarentena.