Conheça True Damage, o novo grupo musical de League of Legends

Conversamos com Toa Dunn, resposável pelos atos musicais do LoL

Priscila Ganiko Publicado por Priscila Ganiko
Conheça True Damage, o novo grupo musical de League of Legends

Depois do sucesso de K/DA e Pentakill, a Riot Games anunciou seu novo projeto musical de League of Legends, chamado de True Damage.

Explorando o gênero do hip hop, o grupo é composto por cinco campeões: Qiyana, Senna, Akali, Ekko e Yasuo. Akali já é integrante do K/DA, e a rapper Soyeon do grupo de k-pop (G)I-dle, que deu voz a ela da primeira vez, está de volta para interpretá-la. Outros artistas envolvidos são Becky G, Keke Palmer, DUCKWRTH e Thutmose, cada um representando um personagem.

Da esq.: Yasuo, Akali, Ekko, Qiyana, Senna na capa do single GIANTS

Começamos do zero definindo qual era a desse grupo e qual o propósito dele“, contou Toa Dunn, chefe do Riot Music Group. “Depois de encontrarmos o feeling do grupo, começamos a mergulhar na música. Queríamos mostrar cada membro de uma forma única que cabe em sua personalidade e contribuição para o grupo. Isso foi importante na hora de escolher os artistas para música“, revelou.

Akali foi uma das personagens mais comentadas e queridas pelos fãs na estreia do K/DA, e isso mostrou que o gênero de hip hop é bem aceito pela comunidade de League of Legends. “Muitos de nós aqui somos grandes fãs de hip hop e queríamos fazer isso“, disse Toa, que garante que a equipe também buscou criar algo que eles mesmos gostassem, além de pensar na experiência dos fãs.

O processo de criação musical fica majoritariamente nas mãos da equipe da Riot, com auxílio de alguns parceiros externos — mas os artistas que participam também tem voz ativa, acrescentando um pouco de si mesmos nos campeões caso queiram.

Além da versão normal, Qiyana e Senna terão versões de prestígio de suas skins feitas em parceria com a marca Louis Vuitton, que também lançará uma coleção de cápsulas inspirada nessas versões das campeãs.

Versão prestígio de Qiyana

Confira abaixo nossa entrevista com Toa Dunn na íntegra.

NerdBunker: Depois de dois grandes atos musicais de sucesso, vocês estão mudando de gênero mais uma vez. Como é a pressão para fazer com que True Damage também seja um hit?

Resposta: Para nós, é mais sobre a empolgação que temos de criar uma ótima experiência para os jogadores. Nosso time ama usar a criatividade que nos inspira para explorar novos gêneros e sons. Muitos de nós somos grandes fãs de hip hop e queríamos fazer isso, e foi mais uma questão de encontrar o projeto e momento  certos para fazê-lo. Sempre há essa questão de não saber se vai ser um grande hit ou ficar no topo das paradas, mas estamos mais focados em criar uma experiência ótima e coesa, indo fundo nas personalidades de cada membro, e fazendo uma música que amamos (e que esperamos que nossos jogadores e fãs também amem). Se isso resultar na música chegando ao topo das paradas, isso mostra o quão incríveis são nossos jogadores e fãs. Eu gasto metade do meu tempo livre assistindo a vídeos de reações de fãs, covers, remixes e mais.

Vocês escolhem os artistas baseados nos personagens ou vice versa? Como escolheram o gênero do hip hop?

Hip hop está na nossa mente há algum tempo, e estamos realmente empolgados para nos jogarmos nisso este ano. Começamos do zero definindo qual era a desse grupo e qual o propósito dele. A Akali teve um papel importante porque ela saiu de uma estreia bem sucedida com o K/DA e ela sempre teve essa vontade de expressar sua paixão pelo hip hop. True Damage é um coletivo de artistas super talentososo que trazem seu estilo e trabalho únicos para o jogo. Depois de encontrarmos o feeling do grupo, começamos a mergulhar na música. Queríamos mostrar cada membro de uma forma única que cabe em sua personalidade e contribuição para o grupo. Isso foi importante na hora de escolher os artistas para música. Queríamos trabalhar com artistas que fossem muito talentosos em seu trabalho e que se encaixassem naturalmente no que estávamos buscando.

Os artistas ajudaram na produção das músicas? A Soyeon (Akali) é conhecida por produzir as música do (G)I-dle, por exemplo.

Temos compositores e produtores talentosos aqui na Riot, mas também colaboramos com parceiros externos. Um grande salve para Harloe e nosso compositor principal da Riot, Kole “Talondor” Hicks que realmente criaram a base da música.

No que diz respeito aos artistas ajudando na produção da música, alguns artistas mergulham conosco para entender os personagens e sua parte na música. Frequentemente a música já estava escrita e produzida, mas alguns artistas também gostam de contribuir com a música. Não há uma fórmula de como isso funciona, só precisa ser uma boa colaboração entre todas as partes envolvidas.

A música terá partes em outros idiomas, já que a Soyeon é coreana e a Becky G também canta em espanhol?

Você definitivamente deve ouvir a música quando ela sair, acho que ela é incrível!

A colaboração com a Louis Vuitton faz com que eu sinta que os grupos musicais do LoL são mais e mais como os grandes artistas que temos hoje em dia. 

Para nós, nossos artistas e bandas são mais do que personagens de fantasia. Colocamos muita paixão e esforço para criar experiências musicais realmente imersivas. Aos nossos olhos, eles são artistas icônicos, e os tratamos como tal.

A recepção do K/DA foi maior do que o esperado?

Claro que torcíamos para que fosse um sucesso, mas acho que teve um impacto maior do que esperávamos. Foi bem legal ver o alcance que K/DA teve e quanto fandom foi criado tanto para o grupo quanto para os membros individualmente. Foi impressionante ver a música chegando ao #1 das paradas musicais em todo o mundo e sentimos que foi realmente um fenômeno.

Existem planos de produzir mais música para as bandas anteriores (um terceiro álbum para a Pentakill ou um novo single para o K/DA)?

Tudo é possível 😛

As skins serão lançadas no dia 10 de novembro, e o True Damage vai se apresentar na final do Mundial de League of Legends.

League of Legends está disponível gratuitamente para PCs e Mac.