Aliens: Fireteam Elite | Review

Estrutura repetitiva e ritmo ruim, mas há luz no fim do túnel

Jeff Kayo Publicado por Jeff Kayo
Aliens: Fireteam Elite | Review

Apesar de não emplacar nada nos cinemas há um bom tempo, a franquia Alien nunca passa batida em qualquer mídia que se apresente. De volta aos videogames, os xenomorfos se apresentam numa forma diferente, mas nem tanto, com Aliens: Fireteam Elite, jogo de ação focado na ação cooperativa, seja acompanhado por uma inteligência artificial ou por mais dois amigos para enfrentar os perigos que essas criaturas sempre nos oferecem.

Trabalho em equipe

Existia uma certa antecipação dos fãs por um novo jogo inspirado em Alien, que pudesse captar um pouco do desespero de se estar junto das criaturas mais nefastas do universo, e ao mesmo tempo entregar um pouco da galhofa do segundo filme do universo cinematográfico protagonizado pelos soldados espaciais boladões. Da última vez as coisas não deram muito certo para Aliens: Colonial Marines.

E se você veio de Alien: Isolation, espere por algo completamente diferente. Fireteam Elite segue uma linha muito mais em voga com o que os games cooperativos tendem a oferecer nos dias de hoje. Um jogo de tiro em terceira pessoa que divide os Space Marines em classes, deixando o balanceamento de cada fase completamente nas mãos do jogador.

Jogando sozinho ou com amigos, o título exige que um trio seja formado por personagens de uma das quatro classes disponíveis no início: Artilheiro, Demolidor, Técnico ou Médico. Cada uma delas traz habilidades especiais únicas que precisam ser exploradas ao máximo dentro de cada uma das fases.

Não há uma regra específica de como o jogador precisa formar seu time, mas definitivamente ele precisa suprir suas necessidades. E essas necessidades mudam de acordo com as fases escolhidas, não tenha dúvidas. Mesmo classes repetidas são válidas no game, não há nenhum tipo de restrição quanto a isso. Posteriormente, a classe de Reconhecimento é habilitada também.

Diversão ou grind?

Aliens: Fireteam Elite_20210823001822

Aliens: Fireteam Elite não impressiona à primeira vista. Talvez nem venha a te impressionar nunca. Tudo que o jogo se propõe a entregar já foi visto de alguma forma em outro lugar — até de forma melhor se formos bem sinceros. O tiroteio é o mesmo, as armas não são nada inovadoras — mas aí precisamos levar em consideração que mesmo nos filmes, não temos novidades neste quesito –, o sistema de cobertura é o de sempre e as habilidades especiais de cada classe são ok.

No entanto, a ideia aqui é a de prender a atenção do jogador com XP, dinheiro para a compra de novos itens, sejam eles armas (uma quantidade limitada), consumíveis ou itens de personalização de classe e alguns visuais (que não mudam em nada o gameplay. Para comprar todas essas coisas será necessária uma certa dedicação na realização das tarefas diárias e semanais que o game oferece como desafios extras, ou mesmo terminar o game algumas vezes.

Aliens: Fireteam Elite_20210823010534

Duas coisas podem ajudar a criar um certo hype em cima do jogo de uma maneira pouco convencional. A primeira delas é mudar a dificuldade. Além do Insano, duas outras estão travadas no menu e só são disponibilizadas quando o jogador termina a campanha pela primeira vez. Elas podem adicionar fogo amigo na disputa, além de deixar os xenomorfos mais fortes.

A outra aposta são as cartas de desafio, cartas especiais que podem ser compradas na loja da base ou serem adquiridas através dos desafios diários ou semanais. Essas cartas adicionam modificações no gameplay da partida, e apesar de dificultar as coisas em alguns casos, no final sempre dão experiência dobrada, entre outras coisas.

Há um problema muito sério no ritmo de cada uma das fases. Na verdade, todas elas parecem as mesmas, em cenários diferentes. Há um momento de andar por corredores vazios, outro momento para enfrentar ondas de inimigos e até aqueles em que cada segundo conta para sobreviver. Seria interessante se fosse algo aleatório, mas a sequência de acontecimentos é sempre a mesma, o jogo inteiro. A surpresa não existe da terceira fase em diante.

História nova

Aliens: Fireteam Elite_20210822163832

O game tem uma campanha relativamente curta. São quatro cenários diferentes, com três fases cada uma. Cada cenário divide a missão em capítulos de mais ou menos 30 minutos (ou menos).

A trama do jogo acontece há cerca de 23 anos à frente da trilogia original, e incorpora elementos dos filmes mais recentes da franquia também. Não que importe muito, pois tudo que acontece no game é passado ao jogador através de conversas um tanto tediosas (os NPCs nem mexem a boca). Mas deixando a birra de lado, durante as missões algumas conversas adicionam bastante ao momento em questão.

Os cenários também servem para complementar o que está sendo dito na trama, porém, não há muita motivação para a exploração do mesmo. Não existem passagens secretas, segredos ocultos ou nada do tipo, apenas um bip à sua frente indicando para onde você deve ir em todas as situações.

No final das contas, Aliens: Fireteam Elite vai precisar de um pouco de sorte para sobreviver nesse mundo de shooters cooperativos que existem no mercado, alguns fazendo seu trabalho de forma muito mais satisfatória há alguns anos já (vide Gears 5). A estrutura sempre igual das fases pode vir a gerar um certo descontentamento, mas ainda sim, há uma luz no fim do túnel com os desafios por dificuldade e a ação cooperativa entre amigos.

Mais notícias