Peacemaker: os easter eggs e referências dos primeiros episódios da série da DC

Derivado de O Esquadrão Suicida já chegou ao HBO Max

Gabriel Avila Publicado por Gabriel Avila
Peacemaker: os easter eggs e referências dos primeiros episódios da série da DC

Peacemaker, a aguardada série de TV derivada de O Esquadrão Suicida, já chegou ao HBO Max. Protagonizada por John Cena, a produção acompanha o Pacificador em novas missões após os eventos do filme de 2021.

Novamente comandada por James Gunn, que é pelo roteirista, diretor e nerd de carteirinha, os três primeiros episódios da produção estão cheios de easter eggs e referências ao Universo DC e além. Reunimos abaixo as principais homenagens de Pacificador.

[Cuidado com spoilers dos primeiros episódios de Peacemaker]

Anteriormente em… O Esquadrão Suicida

O primeiro episódio de Peacemaker começa com uma recapitulação, clássico recurso utilizado nas séries de TV para contextualizar o espectador. Por se tratar do capítulo inicial, esse recap resume em poucos minutos a participação do Pacificador em O Esquadrão Suicida, desde sua apresentação na prisão, passando pelo assassinato de Rick Flag (Joel Kinnaman), até o tiro que o colocou no hospital.

Além disso, a produção volta a mostrar e citar personagens retirados direto do filme. Viola Davis aparece rapidamente Amanda Waller para revelar que a chefona é mãe de Leota Adebayo (Danielle Brooks). Além disso, também são citados outros membros como Arlequina, Sanguinário e até o bisonho Doninha.

Aquaman e Batman

Além dos membros da Força-Tarefa X, Peacemaker também relembrou alguns dos grandes heróis do Universo DC. Logo na primeira cena o protagonista é alvo de piada do faxineiro Jamil (Rizwan Manji), que acredita que um herói de verdade é o Aquaman – informação que por sua vez deixa o protagonista irritado ao ponto de acusar o Rei dos Mares de manter relações sexuais com peixes. Já o Batman é citado em um contexto parecido, quando um vizinho do pai do Pacificador o acusa de não ser herói de verdade e cita o Homem-Morcego como exemplo.

007 e Sharknado

Além dos quadrinhos, Peacemaker também cita outras obras do cinema. Em uma conversa com a namorada, Adebayo brinca que caso tenham filhos ela escolheu os nomes Octopussy para garota e Sharknado para garoto.

O primeiro faz referência à personagem de mesmo nome que tem grande destaque no filme 007 contra Octopussy (1983), já o segundo é uma referência direta a Sharknado, filme trash de 2013 que deu início à uma franquia que ganhou cinco sequências.

Eclipso e Caçadora

De volta aos quadrinhos, o trailer em que o protagonista vive esconde duas referências ao Universo DC. A primeira é a Caçadora, vigilante que chegou aos cinemas em Aves de Rapina, e inspirou um ímã colado na porta da geladeira do Pacificador.

Já o segundo é Eclipso, supervilão de origens místicas que é a personificação da ira de Deus nas HQs. Ele chegou a ganhar uma HQ solo nos anos 90 que contou com o Pacificador como coadjuvante. Este easter egg pôde ser visto nos trailers e foi captado por um fã que impressionou o próprio James Gunn com a atenção ao detalhe.

Mothra

Ao receber a missão do “Projeto Borboleta”, o Pacificador reclama de como o nome dessas tarefas são literais e chega a citar que o “Projeto Estrela-do-mar” era o Starro – literalmente uma estrela do mar gigante.

Em seguida ele brinca com a possibilidade de a nova missão ser uma luta contra a Mothra, famoso kaiju com design inspirado em insetos que constantemente contracena com Godzilla e outros monstros clássicos.

Rajada sônica

Ao final do primeiro episódio, o Pacificador precisa lutar contra uma mulher de força e resistência sobre humanas. Desarmado e sem recursos, ele recorre à rajada sônica de seu capacete, uma arma que simplesmente destrói a adversária e tudo o que se encontra em um raio de poucos metros.

Por mais mirabolante que essa arma pareça, ela tem precedente nas HQs. Logo na cena de abertura da primeira edição da única revista solo do Pacificador, ele utiliza o apetrecho para desarmar um grupo de terroristas que o cerca.

Bat-Mirim

Um dos easter eggs mais divertidos de Peacemaker é o Bat-Mirim. Personagem bizarro, porém divertido do UDC, ele é citado por John Economos como uma companhia muito melhor que o irritante Pacificador.

Como o próprio agente diz, o Bat-Mirim (ou Bat-Mite no original) é um “duende interdimensional de 60 centímetros que é doido pelo Batman”. Criado por Bill Finger e Sheldon Moldoff na revista Detective Comics #267, ele chegou a aparecer em séries animadas e até jogos do Homem-Morcego – e agora é parte oficial do DCEU, que reviravolta.

Chicago

Os três primeiros episódios mostram que o Pacificador é muito ligado à música, chegando a ter um número musical ao som de um clássico do hard rock dos anos 1980. Esse gosto vai além e chega aos musicais, já que ele tem uma cópia do filme Chicago (2002) na coleção.

Pequeno Polegar

Uma figura clássica, porém obscura, do Universo DC a ganhar uma citação é o Pequeno Polegar. Originalmente chamado Doll Man, esse foi o primeiro herói capaz de diminuir de tamanho nas HQs – precedendo o Homem-Formiga e o próprio Elektron por décadas. Segundo o Pacificador, ele foi o responsável por atacá-lo junto com seus homunculos em um momento de intimidade.

Dragão Branco

Após ser duplamente incriminado, o pai do Pacificador finalmente vai parar na cadeia. Porém, ao invés de ser intimidado ou hostilizado, August Smith (Robert Patrick) é bem recebido em uma área de convivência na prisão. Após reunir um grupo de presidiários que parecem pertencer a grupos supremacistas, ele é saudado como o “Dragão Branco”.

Essa é uma mudança dos quadrinhos originais que mistura dois personagens diferentes. Originalmente, o pai do Pacificador é Wolfgang, um ex-comandante de campo de concentração. Após tirar a própria vida na frente do filho, ele volta a assombrar o garoto em alucinações em que aparece vestindo o uniforme nazista. Já Dragão Branco é a alcunha de alguns vilões da DC que possuem ligações com grupos supremacistas.

Mestre Judoca e Cobra Kai

A primeira missão do Pacificador na série é derrubar o Senador Goff, a quem a equipe acredita ser uma Borboleta. Para chegar nele, o herói e seus aliados precisam lidar com o Mestre Judoca, outro herói obscuro dos quadrinhos cuja grande habilidade são os combates corporais e o judô.

Tendo em vista as habilidades do personagem, ele chega a ser chamado de “Cobra Kai” por John Economos (Steve Agee) em uma piada pouco criativa sobre artes marciais.

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1