Watch Dogs Legion terá mais de 250 locações e morte permanente de personagens

Direto da E3 2019, conversamos com Joel Burgess, diretor de mundo do jogo

Jeff Kayo Publicado por Jeff Kayo
Watch Dogs Legion terá mais de 250 locações e morte permanente de personagens

Apesar de ter vazado alguns dias antes da revelação oficial, Watch Dogs Legion foi apresentado oficialmente durante a conferência da Ubisoft na E3 2019 com um vídeo extenso de gameplay que elevou as expectativas do público.

Terceiro jogo da franquia, Legion promete deixar o jogador livre para controlar qualquer personagem da Londres do game. Parece exagero, mas a promessa é de que realmente será possível escolher e assumir o controle de qualquer um dos personagens que estiverem perambulando pelas ruas da cidade. Não há um protagonista — é necessário encontrar e usar as habilidades das pessoas para conseguir completar as missões.

Para ajudar a esclarecer algumas das (muitas!) dúvidas que ainda restaram sobre o jogo, conversamos com Joel Burgess da Ubisoft Montreal, diretor do mundo de Watch Dogs: Legion.

NerdBunker: Você pode explicar em qual espaço temporal Watch Dogs Legion está situado, em relação aos outros dois jogos da franquia?

Joel Burgess: Watch Dogs Legion se passa no futuro. Watch Dogs 1 e 2 eram meio que contemporâneos com os dias atuais, e em Legion estamos trabalhando com ficção especulativa. O jogo se passa em Londres alguns anos no futuro, e é uma Londres em que as coisas ficaram bem extremas em alguns aspectos. Então temos um regime autoritário na cidade, o próprio governo não é mais efetivo, as pessoas estão divididas e mais assustadas do que estiveram em um bom tempo. Isso cria uma abertura onde vários oportunistas e extremistas podem tirar vantagem e explorar a situação em benefício próprio.

A decisão de não usar um protagonista e sim toda a cidade como protagonista é algo bem legal. Você pode falar um pouco mais sobre isso?

É sempre interessante explicar esse jogo para as pessoas, porque, olha, a trajetória faz muito sentido. Há um único protagonista em Watch Dogs 1, você tem esse grupo bem interessante de amigos em Watch Dogs 2, e então, em Watch Dogs 3 você tem um elenco muito maior de personagens. As pessoas assumem que são 20 ou 40, ou 50, mas não — é literalmente qualquer um que você vê andando na rua (exceto durante as cutscenes, porque você não pode usar a ação de “hackear” durante as cenas). Todo mundo que você vê no mundo do jogo pode ser “hackeado” e então o sistema dá a esses personagens uma vida, compromissos, relacionamentos, problemas, e você pode interagir com isso.

É algo que foi muito difícil de implementar tecnologicamente falando, mas quando você enxerga os principais temas do jogo, é como se nós tivéssemos que fazê-lo, certo? Em essência, esse é um jogo sobre a divisão da sociedade, e a necessidade das pessoas trabalharem juntas mesmo com passados e problemas diferentes. É um jogo sobre superar essas diferenças e tomar o poder de volta das pessoas que estão se aproveitando da população.

É possível jogar com uma assassina aposentada em Legion

Com tantos personagens para usar, podemos encontrar os protagonistas do jogos anteriores em Legion?

Não estou autorizado a falar sobre isso (risos).

Um dos pontos fortes do segundo jogo foi o componente online, podemos esperar por isso no terceiro?

Não estamos falando muito sobre o online na E3, mas vamos dar mais detalhes nos próximos meses, então fiquem ligados. O que podemos falar é que, claro, sabemos que o online é uma grande parte da identidade de Watch Dogs e estamos tentando encontrar a melhor forma de construir em cima desse legado. A ideia inicial é trazer todos os personagens e os sistemas que você gostar das partes mais focadas em história, em single-player do jogo, e você poderá levar esses personagens para a experiência online, então é algo interconectado. E o multiplayer será para até quatro jogadores, no formato cooperativo.

Tudo o que sabemos sobre o online é que será cooperativo para até quatro jogadores

Interessante! Agora vamos falar sobre morte permanente.

Hmm, sim!

Eu fiquei com bastante medo de perder alguns dos meus personagens.

A permadeath é algo muito importante para esse jogo. E é um desses tópicos que é bastante… A morte permanente é uma coisa muito interessante para discutir em jogos. A primeira impressão é de uma emoção negativa, mas isso também cria uma experiência bastante positiva em certos jogos. E quando você olha para Legion, a morte permanente meio que tem que estar ali.

Existem alguns motivos de game design para implementar esse sistema, mas só da ideia de que você está tirando pessoas de suas vidas cotidianas e colocando-as em situações extraordinárias, em que os personagens sairiam de sua rotina para ajudar a DedSec, ter o permadeath realmente é sobre as pessoas estarem arriscando suas vidas para lutar pelo que acreditam. O sistema de morte permanente no jogo é um jeito de lembrar da tensão dessas pessoas.

Temos até sistemas para a rotina das pessoas. Digamos que eu e você somos melhores amigos, e que sempre nos encontramos em um pub todos os dias as 17h, bebemos por algumas horas e depois continuamos nossas vidas. Se algo acontecesse e eu fosse morto, você não iria mais para o pub. Você poderia ir para o hospital se eu tivesse me machucado, ou lamentar a minha morte em algum lugar específico… Existe essa consistência no que diz respeito ao jeito que os personagens reagem ao mundo e a morte é apenas uma parte disso.

Para encerrar, quão grande é o mundo de Watch Dogs: Legion?

Em termos de tamanho de mapa, eu não conferi recentemente, mas diria que é comparável ao de Watch Dogs 2, mas a composição é bem diferente. Eu trabalhei em muitos jogos de mundo aberto antes de vir para a Ubisoft Montreal — para mim o tamanho não é o mais importante. É a densidade de um mundo aberto que realmente importa. E quando você está fazendo uma cidade como Londres, você tem uma densidade extrema. O que realmente importava para nós não era necessariamente criar o maior mapa ou algo do tipo, mas conseguir fazer um mapa verdadeiramente rico em lugares. Lugares oferecem diferentes tipos de gameplay, seja uma loja de roupas ou um pub, ou locais voltados para combate, e nos certificamos de que enquanto os jogadores estão fazendo uma missão ou recrutando alguém ou até mesmo só passeando, que eles consigam sentir que estão em uma nova área, com a cultura consistente. Temos mais de 250 locações dentro do jogo, e elas são bem diversas entre si.

Jogadores poderão explorar a Londres de Watch Dogs Legion

Watch Dogs: Legion será lançado em 6 de março de 2020 para PlayStation 4, Xbox One, PC e Stadia.