WandaVision quebra a quarta parede dentro e fora da série no episódio sete

Episódio conta com uma grande (e aguardada!) revelação de personagem

Priscila Ganiko Publicado por Priscila Ganiko
WandaVision quebra a quarta parede dentro e fora da série no episódio sete

O sétimo episódio de WandaVision finalmente respondeu algumas das respostas mais aguardadas pelos fãs e confirmou ao menos uma das principais teorias sobre a série.

[Aviso: O texto abaixo contém spoilers e recomendamos assistir ao sétimo episódio antes de continuar.]

Chamado de “Derrubando a Quarta Parede”, o episódio é construído como um capítulo de Modern Family, mas também conta com referências a outras séries populares dos anos 2000, como The Office. As primeiras cenas mostram que Wanda (Elizabeth Olsen) está cansada após os acontecimentos da noite anterior durante a festa de Halloween na cidade. Visão não voltou para casa após ter tentado atravessar a barreira, e ela e os gêmeos começam a presenciar acontecimentos estranhos dentro de casa, com objetos mudando de formato (e de década) sem que Wanda tenha controle sobre eles.

Conforme o episódio vai passando, vemos que a Feiticeira está consciente e também preocupada por não estar mais no controle da situação, explícito tanto em cenas que mostram a personagem falando diretamente com o público, como uma espécie de entrevista, e em momentos como quando ela conversa com os gêmeos e fala que não vê mais sentido na vida, desabafando seus sentimentos sem o filtro de “família feliz” sustentado nos outros episódios.

Em um dos momentos que ela abre o coração na entrevista, dizendo que não entende o que está acontecendo e questionando o motivo de tudo estar desmoronando e não conseguir consertar, uma voz com interlocutor oculto pergunta se Wanda não acha que talvez isso seja o que ela merece. Depois de um silêncio que deixa o público alerta, o mistério é intensificado quando a protagonista afirma que este interlocutor não deveria falar.

A entrevista quebra a quarta parede com o espectador, pois os personagens falam diretamente com o público que está assistindo a série

Monica Rambeau

Após ter suas células reescritas duas vezes ao passar pelo Hex, vemos Monica Rambeau (Teyonah Parris) atravessar a barreira uma terceira vez. Conforme previsto por Darcy (Kat Dennings), o corpo da personagem sofre alterações e agora ela parece ser capaz de enxergar campos eletromagnéticos.

A cena de Monica atravessando a barreira é bem interessante e destaca diálogos que aconteceram não só em WandaVision, mas também traz uma das falas de Carol Danvers em Capitã Marvel. O momento também faz a personagem refletir sobre as dores e sofrimentos que passou, emergindo do outro lado mais determinada e, aparentemente, poderosa. Como seus poderes não são revelados no episódio, não dá para saber em qual versão dos quadrinhos a personagem da série foi inspirada — nas HQs, ela já assumiu nomes como Fóton, Pulsar, Espectro e até mesmo Capitã Marvel.

Para quem esperava uma grande revelação ou a chegada de um novo personagem como o “contato” de Rambeau, uma decepção: nada foi revelado, ao menos por enquanto. A grande ajuda é um veículo especial, apresentado pela personagem Major Goodner, que, aparentemente não tem nenhuma ligação com os quadrinhos.

Como ainda temos mais dois episódios na série, é possível que o contato misterioso faça uma aparição nas próximas semanas — mas também é possível que este seja um mistério a ser solucionado em outro ponto do universo cinematográfico da Marvel.

Visão

Visão descobre tudo sobre seu passado — e que, aparentemente, já morreu duas vezes

Recobrando os sentidos após quase ter sido desintegrado ao tentar sair do Hex, Visão (Paul Bettany) encontra Darcy e faz com que ela recobre a consciência mesmo dentro do perímetro expandido de Westview. A personagem então conta tudo o que sabe de forma resumida para Visão, incluindo o fato de que ele morreu não apenas uma, mas duas vezes, e que Wanda teve que assistir tudo isso.

Durante a parte de “entrevista”, o personagem mostra empatia com a dor da esposa, e parece perceber como tudo é absurdo e a urgência da situação, pois sai no meio da conversa com o público para ir atrás de Wanda. Simultaneamente, no furgão, ele atravessa o teto e deixa Darcy para trás.

Um momento engraçadinho do episódio é quando Darcy conta que tem monitorado a série do casal há algum tempo, e se refere a ela como WandaVision. Estamos de olho.

Pausa para o comercial

Na propaganda menos sutil da série até o momento, vemos a moça que sempre aparece nos comerciais depressiva, triste, assim como Wanda no começo do episódio. A narração apresenta um remédio antidepressivo chamado Nexus, que promete ancorá-la de volta à realidade — mas não especifica qual.

Os efeitos do remédio são muito similares ao Nexus dos quadrinhos da Marvel, que funciona como um portal para diferentes dimensões e universos, incluindo aqueles que ficam entre uma realidade e outra. É como um ponto comum entre todas as dimensões existentes, e não é a toa que isso está sendo mostrado na série.

Como já é sabido, WandaVision terá ligações com o segundo filme do Doutor Estranho, que leva o nome de Doctor Strange in the Multiverse of Madness, que pode ser traduzido como Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. O fato de que estamos vendo duas realidades na série (dentro e fora do Hex, no mínimo) é condizente com a temática da sequência, mas a menção ao Nexus parece um aviso enorme e neon de que este é apenas um fragmento do que será explorado no MCU na fase atual.

Quem é Agnes?

A resposta finalmente foi revelada. “Derrubando a Quarta Parede” mostra que a divertida e prestativa vizinha de Wanda, Agnes (Kathyrn Hahn), não estava ajudando a personagem como era mostrado, e sim que era ela uma das responsáveis por tudo o que estava dando errado para a Feiticeira Escarlate.

Após um confronto muito esquisito com Monica, que demonstrou suas boas intenções ao longo de todos os episódios da série, é revelado que Agnes é na verdade a bruxa Agatha Harkness, que, nas HQs, se torna uma das mentoras de Wanda.

Muitas teorias apontavam que Agnes realmente seria Agatha Harkness na série, por sua atuação como aliada de Wanda. Mas com a grande revelação, outros detalhes dela passam a chamar atenção: nos quadrinhos, ela é responsável por apagar os gêmeos Billy e Tommy da memória da Feiticeira, após serem absorvidos por Mephisto.

Parando para relembrar os outros episódios, as intervenções de Agnes sempre aconteciam para garantir o bem-estar dos gêmeos, ora ajudando a niná-los quando eram bebês, ora aparecendo com uma casinha de cachorro para eles. Agora que ambos atingiram os dez anos de idade e já despertaram seus poderes, a personagem foi buscá-los e pode ser que esteja próxima de cumprir seu objetivo — seja lá qual for.

A revelação de Agatha é uma grande resposta, ainda que não saibamos quais suas motivações e planos na série. Porém, uma coisa sobre ela está muito clara: é realmente deve ser uma vilã, pois matou o Sparky, cãozinho do quinto episódio, então podemos odiá-la.

Reta final

Monica consegue atravessar o Hex e ganha poderes

O episódio não chega nem a ter 40 minutos, mas mostrou o clímax da origem de Monica Rambeau como heroína, uma referência nada sutil ao multiverso na propaganda do Nexus, respostas sobre a identidade de Agnes e também revelou que Tyler Hayward (Josh Stamberg) tem objetivos que envolvem reviver o Visão para poder continuar usando-o como uma arma — ou até mesmo a criação de um novo corpo, relacionado ao projeto Catarata. Os próximos episódios devem deixar os planos do personagem mais explícitos.

Agora temos provas de que muita interação com a barreira do Hex pode dar poderes às pessoas, e também sabemos que Agatha consegue usar seus poderes mesmo dentro do perímetro que pensávamos ser controlado por Wanda.

Uma questão que permanece é sobre Pietro Maximoff. Interpretado na série por Evan Peters, que fez o personagem nos filmes dos X-Men, foi revelado que ele está sendo controlado por Agatha. Mercúrio tem mais informações e é mais consciente do que outros moradores de Westview, e tem informações sobre a morte do Pietro original de Aaron-Taylor Johnson. Tudo isso são informações repassadas por Agatha, ou ele tem algum tipo de conhecimento próprio? Seria ele um dos moradores, e por isso está com o visual diferente para Wanda, ou será algum tipo de lacaio da bruxa? As questões sobre ele continuam, e uma cena pós-créditos cria a expectativa de que veremos mais do personagem no próximo episódio, possivelmente em um embate contra a recém-super Monica.

Outro mistério introduzido no episódio é um livro tenebroso que parece estar cercado por uma aura. Levando em consideração a cena dedicada somente a ele, podemos presumir que será um ponto importante em algum momento, seja nos próximos dois episódios ou no futuro do MCU.

Para citar mais um livro tenebroso que já apareceu em produções da Marvel é o Darkhold, livro que contém uma enorme variedade de feitiços e vilanias escritos pelo nefasto ancião Chthon. O personagem também tem ligações com a Feiticeira Escarlate, usando-a como ponte e isca para que pudesse renascer na Terra. Embora não seja a teoria mais comum, outro detalhe pode chamar mais a atenção dos fãs: Chthon tem ligações com Reginald Hayward, que compartilha o sobrenome com o atual diretor da E.S.P.A.D.A. na série. Mesmo que não seja nada, ainda assim é uma coincidência interessante.

“Derrubando a Quarta Parede” usa o conceito de quarta parede não apenas para nós, espectadores, mas também sugere que Wanda está finalmente enxergando além da vida perfeita de televisão que tentou conseguir em Westview. A expectativa é de que os dois últimos episódios tenham mais ação e quem sabe até alguma luta com superpoderes, além de entregar respostas sobre as reais intenções da vilã — ou dos vilões.