Diretora de Red: Crescer é uma Fera revela inspiração em Sailor Moon e Fruits Basket

Conversamos com Domee Shi e com a produtora Lindsey Collins

Camila Sousa Publicado por Camila Sousa
Diretora de Red: Crescer é uma Fera revela inspiração em Sailor Moon e Fruits Basket

Quando os primeiros trailers de Red: Crescer é uma Fera (Turning Red, no original) foram divulgados, já ficou claro que a nova animação da Disney/Pixar teria um estilo diferente de animação, misturando elementos dos animes e outras referências.

Em entrevista ao NerdBunker, a diretora Domee Shi (do curta vencedor do Oscar, Bao) confirmou essa inspiração e disse ter pensado em animes como Sailor Moon, Ranma ½ e Fruits Basket para contar a história da jovem Mei:

“Sailor Moon definitivamente foi uma grande inspiração para nós, não somente pelas cores, mas também por ser uma jovem em idade escolar, com as amigas, etc. [Me inspirei] em animes que falam sobre transformações mágicas, como Ranma ½ e Fruits Basket. Há também o estilo da animação, com essa nuvem fofa que aparece quando eles se transformam. Pegamos emprestado ainda a forma casual de lidar com a magia, em que todo mundo a aceita tranquilamente.”

Na história de Red, a jovem Meilin Lee (voz original de Rosalie Chiang) está no auge de seus 13 anos, curtindo músicas com as amigas, sendo uma aluna exemplar e ajudando a família em todos os momentos. Isso muda em uma certa noite, quando ela tem um pesadelo e acorda transformada em um panda vermelho, símbolo de seus ancestrais. A partir daí, ela precisa aprender a lidar com essa mudança, ao mesmo tempo em que começa a gostar de certos aspectos.

Durante a entrevista, Shi explicou por que o panda foi o animal escolhido para representar todas as transformações da adolescência:

“O [panda vermelho] é muito fofo, esse foi um dos motivos para colocá-lo no filme. Mas os pandas vermelhos também pode ser ferozes e grandes, eu senti que essa seria a melhor metáfora para falar sobre puberdade, porque eles são peludos, estranhos, fofos e raivosos. A cor vermelha também nos lembra muito da puberdade, da menstruação, da cor que o rosto fica quando você fica brava, ou com vergonha. E quem não gostaria de ver um grande panda vermelho ganhando vida?”.

Imagem de Red: Crescer é uma Fera
Mei começa a gostar de ser um panda

Ter uma garota de 13 anos como protagonista também fez Red: Crescer é uma Fera abordar temas que não são tão comuns em produções estreladas por personagens masculinos. Segundo a diretora, esse choque de realidade aconteceu também nos bastidores da produção, com colegas que ficaram curiosos com certos aspectos da história.

“Há vários detalhes que foram interessantes de dividir com o público, especialmente o masculino, que realmente não sabe muito sobre o ‘mundo secreto de uma garota de 13 anos’ [risos]. Alguns colegas ficaram fascinados pelo fato de que Mei é obcecada com sereias. Eles nos perguntaram ‘isso é algo importante?’ E respondemos que é sim. Conheço várias adolescentes que tiveram uma fase com as sereias. Foi uma oportunidade interessante de incluir detalhes autênticos, que não são vistos em filmes feitos por homens”.

Crescimento e relação com a família

Imagem de Red: Crescer é uma Fera
Relação entre Mei e sua mãe muda ao longo do filme

Outro ponto interessante abordado no filme é a relação de Mei com sua família. No começo, ela segue os mesmos passos da mãe e as duas possuem uma relação muito próxima. Porém, aos poucos, elas começam a divergir sobre escolhas e como lidar com a transformação em panda.

Segundo Domee Shi, a ideia do drama familiar não estava nos planos no começo, mas foi uma adição importante para mostrar como cada geração precisou lidar com suas próprias mudanças e o crescimento.

“A ideia do filme é: aceite a bagunça da vida, aceite a bagunça das suas relações com a família. É normal brigar com a sua mãe, é normal bater de frente com a sua família, isso é completamente normal. O estranho, na verdade, é você nunca brigar. Há muito conflito, mas há muito amor também”.

Para a produtora Lindsey Collins, que está no projeto ao lado de Shi desde 2017, contar essa história também trouxe um olhar diferente para sua relação com as próprias filhas:

“Eu sou mãe de três adolescentes, então vários momentos do roteiro me fizeram pensar: nossa, foi nesse momento que eu estraguei tudo, foi dessa forma que eu envergonhei meus filhos. Acho que teve uma certa honestidade no que colocamos na mesa para o filme, e espero que as pessoas percebam como essas experiências são normais, e também são coletivas. Não dá para passar ileso pela puberdade [risos].”

Red: Crescer é uma Fera estreia exclusivamente no Disney+ em 11 de março.

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1