Museu do Celular reúne diversos modelos clássicos

O espaço pode ser acessado online

Matheus Rodrigo Publicado por Matheus Rodrigo
Museu do Celular reúne diversos modelos clássicos

Nostálgicos, preparem os corações! Relembrando a época de quando tudo era mato e os smartphones de formato tijolão, o Museu do Celular reuniu um acervo muito diverso de celulares — dos marcantes aos mais modernos.

Apesar de concebida inicialmente em 2004, a iniciativa foi lançada oficialmente em 2019 durante a pandemia de COVID-19. Por conta disso, o projeto foi idealizado para ser inteiramente online por Ben Wood e Matt Chatterley, colecionadores de longa data dos itens. O acervo já reúne 2280 celulares, lançados entre 1980 e 2022, e pode ser conferida no site.

No geral, o acervo é composto principalmente por doações do público, coleções particulares dos idealizadores do projeto e parcerias. Confira algumas das principais categorias do Museu do Celular, selecionadas pelo NerdBunker.

Celulares da cultura pop

E que melhor forma de conhecer a coleção do que com aparelhos da cultura pop? Um dos mais populares e clássicos é o Nokia 8110, lançado em 1996 e que apareceu em Matrix (1999) sendo utilizado por Neo. Apesar de ter sofrido algumas adaptações para aparecer no longa, o modelo é considerado o primeiro aparelho slider da marca.

O Motorola Dynatac 8000X é um ícone da década de 1980 e foi lançado em 1984. Um dos primeiros telefones móveis, apareceu em Wall Street (1987) e é um clássico do formato tijolão. É um dos primeiros aparelhos que chegaram as casas e escritórios, principalmente no mercado internacional.

Outros aparelhos de destaque da nossa listinha são os Nokia N8 e Sony Ericsson K800I, de Tron: O Legado (2010) e 007 Cassino Royale (2006), respectivamente. O primeiro contava com um design slider, em que o usuário deslizava para abrir o teclado, e tinha um foco em software. Já o segundo foi lançado em 2006 e é um dos que aparece na franquia do James Bond, sendo utilizado tanto pelo herói quanto pelo seu vilão. 

Aparelhos populares

Além dos celulares que marcaram presença nos filmes, há aqueles que muita gente teve e comprou. Por exemplo, o saudoso Motorola V3. Este e outros smartphones de sucesso também estão presentes em uma das exposições do Museu do Celular. Lançado em 2004, o celular da linha Razr vendeu mais de 100 milhões de cópias ao redor do mundo e foi um dos aparelhos populares dos anos 2000. O celular tinha uma câmera, um display externo que mostrava horas, além de ter um teclado numérico e alfabético.

Outro modelo clássico de grande sucesso foi o Nokia 3310, que chegou ao mercado em 2000. Um nome histórico dos celulares tijolões, o aparelho era extramemente resistente e tinha diversos recursos: calendário, alarme, joguinhos, entre outros. Teve mais de 126 milhões de aparelhos vendidos globalmente.

Para fechar, mais um aparelho que merece menção é o Sony Ericsson W380. Com as tradicionais ondinhas da linha Ericsson, o aparelho acompanhou uma febre de celulares da marca no início do século XXI. No geral, o aparelho de 2007 contava com câmera, um teclado padrão e um design flip (celulares que abrem e fecham). Além disso, tinha um controle gestual de ignorar uma chamada passando a mão por cima da câmera. É aquilo: só quem viveu, sabe!

Smartphones feios 

E para fechar a nossa lista com chave de ouro (ou de plástico e circuitos antigos), outro segmento de aparelhos do Museu do Celular é o de celulares feios. Com 13 modelos inclusos, a inusitada curadoria tem como seus principais representantes da feiura os modelos i-Kids SF-001, Nokia 7600, NTT Personal Paldio 101Y e Samsung P110V.

O primeiro deles foi lançado em 2003 e conta com um design que faz menção a um coelhinho — fofo? feio? ambos? Já o segundo também chegou aos mercados em 2003, sendo um dos primeiros celulares 3G da marca. Contudo, o seu formato incomum gerou problemas de usabilidade e dificuldades.

O Personal Paldio 101Y é um modelo da empresa NTT Communications, do Japão, e recebeu o apelido de celular vaso sanitário pela semelhança com o objeto. Foi lançado em 1995 e, ironicamente, foi o vencedor do tradicional prêmio japonês Good Design Award por seu visual “criativo”. Por fim, mas não menos importante, o celular da Samsung aparece na nossa lista com um pink cargo pra lá de chamativo e completa a sequência de designs peculiares!

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1