Jogo de Michael Jackson combate a pirataria com… vuvuzelas!

O maior horror da copa do mundo nesse ano, sem sombra de dúvida, foi o constante barulho da Vuvuzela. A tal corneta de plástico inundava não só os estádios da África do Sul, mas também nas cidades, ruas e casas do mundo inteiro. Depois de a Rocksteady avacalhar com as cópias piratas de Batman: Arkham […]

Stephan Martins Publicado por Stephan Martins
Jogo de Michael Jackson combate a pirataria com... vuvuzelas!

O maior horror da copa do mundo nesse ano, sem sombra de dúvida, foi o constante barulho da Vuvuzela. A tal corneta de plástico inundava não só os estádios da África do Sul, mas também nas cidades, ruas e casas do mundo inteiro.

Depois de a Rocksteady avacalhar com as cópias piratas de Batman: Arkham Asylum (o jogador não conseguia pular nem fazer metade das ações que eram necessárias para o jogo), é a vez da Ubisoft. Com o novo jogo de dança Michael Jackson: The Experience, a empresa preparou uma armadilha para as cópias piratas no Nintendo DS.

Em vez de uma música do Michael Jackson com letras e vídeo interativo, tudo o que se escuta é a batida da música de um lado, com o vídeo travado, totalmente sem poder ser jogado. E o pior: o som das vuvuzelas.

Cada vez mais, as empresas descobrem que fazer proteção de jogos com DRM por exemplo, não funciona. Se todos os jogos tiverem esse tipo de proteção criativa que torna o jogo injogável, ferrou para os piratas.

Via The Escapist


Stephan Martins
Stephan Martins prefere ouvir o Cthulhu cantando Grind Metal gutural no seu ouvido do que uma Vuvuzela.

.