Google corta relações com Huawei

Empresa chinesa está sendo acusada de espionagem

Priscila Ganiko Publicado por Priscila Ganiko
Google corta relações com Huawei

O Google não fornecerá mais seus serviços para a Huawei. Donos de smartphones da marca poderão continuar usando o Android, mas não terão acesso a aplicativos como o Gmail ou o Google Maps no futuro.

A decisão veio após o presidente Donald Trump proibir grupos americanos de fazerem negócios com empresas estrangeiras de comunicação consideradas perigosas para a segurança dos EUA. A Huawei foi acusada de espionagem cibernética pelo governo americano.

Quem tiver um celular da Huawei poderá continuar usando o Google Play e as medidas de segurança do Google Play Protect normalmente, mas não há garantia de que o sistema operacional será atualizado para uma próxima versão.

A empresa chinesa ainda pode usar o Android Open Source Project (AOSP), versão de código aberto do sistema operacional do Google, mas as atualizações demoram muito mais para chegar nesse sistema.

A proibição também vale para a comercialização de componentes. Atualmente, a Huawei compra US$ 11 bilhões em componentes de grupos americanos. A empresa também é uma das líderes no desenvolvimento da tecnologia 5G, a próxima geração da internet móvel.

Uma lei chinesa aprovada em 2017 obriga as empresas a colaborarem com os serviços de inteligência do país, e a falta de transparência da Huawei gerou a desconfiança por parte dos EUA.

Nos três primeiros meses de 2019, a fabricante chinesa vendeu quase 60 milhões de smartphones, o que corresponde a 19% do mercado, ficando atrás apenas da sul-coreana Samsung.

A resposta oficial da Huawei ressalta as contribuições da empresa para o crescimento do Android ao redor do mundo, e garante que os usuários continuarão recebendo atualizações de segurança, encerrando com “Vamos continuar construindo um ecossistema de software seguro e sustentável para entregar a melhor experiência para os usuários globalmente“.

Com informações do G1 e The Verge.