Crunchyroll age contra a pirataria e pede remoção de sites que roubaram conteúdo

Alguns sites de download de animes saíram do ar

Redação NerdBunker Publicado por Redação NerdBunker

Nos últimos dias, alguns sites de download de animes saíram do ar ou começaram a redirecionar para a Crunchyroll, plataforma de streaming focada em animes, e isso gerou uma comoção na internet.

Os sites estavam distribuindo ilegalmente alguns episódios dublados e legendados de séries licenciadas pela Crunchyroll, ou seja, pirateando conteúdo.

Essa é a segunda vez que uma empresa com os direitos de algum anime ou mangá age contra a pirataria no Brasil. Em 2017, a JBC pediu a retirada dos mangás licenciados por ela de sites ilegais que estavam cobrando por “acesso VIP” – ou seja, estavam cobrando dinheiro pros usuários terem um acesso sem propagandas ao conteúdo pirateado.

Por um lado, a pirataria sempre foi muito presente aqui no Brasil e até servia como termômetro pros títulos chegarem por aqui — as editoras viam o que estava em alta e concentravam seus esforços em trazê-los legalmente.

Por outro lado, a pirataria continua sendo crime, tendo efeitos benéficos ou não. Os sites ganham dinheiro em cima do trabalho de outras pessoas, seja com doações ou com propagandas, e esse dinheiro não é repassado para quem está produzindo a obra original. Se a obra original não gera lucro, ela não tem continuação ou pode até mesmo ser cancelada.

Como medida para combater a pirataria, a editora Shueisha, responsável pela publicação da revista Shonen Jump no Japão, lançou o MANGA Plus, aplicativo gratuito para leitura de seus títulos.

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1