Blazing Chrome | Review

Inspirado em Contra, jogo traz de volta clássico estilo de plataforma e tiros com louvor e personalidade

Jefferson Sato Publicado por Jefferson Sato
Blazing Chrome | Review

Normalmente tento evitar expressões famigeradas como “sucessor espiritual”, mas é difícil descrever Blazing Chrome sem pensar nela. Depois de jogar, então, só aumentou a sensação de voltar à era 16-bits dos videogames. Mas ele é mais do que isso.

Copiar a estética dos jogos dos anos 90 é uma coisa, um objetivo facilmente atingido por diversos games independentes. Conseguir capturar o clima e a essência daquela geração, no entanto, é algo completamente diferente. E este título faz isso muito bem.

Blazing Chrome, que é abertamente inspirado nas clássicas franquias Contra e Metal Slug, chega para aumentar a família do estúdio brasileiro Joymasher, já conhecido por outros dois jogos famosos com visual e jogabilidade retrô: Oniken e Odallus.

Logo nos primeiros minutos tive a legítima sensação de voltar no tempo. Mas não é só nostalgia. Eu queria ligar para algum amigo vir em casa, com o controle dele, para a gente poder jogar junto. Tem pizza de ontem aqui, traz refrigerante!

Blazing Chrome Review
Blazing Chrome me conquistou já na apresentação!

Mesmo sendo capaz de passar essa sensação poderosa, o título evita ser datado ou uma mera cópia. A desenvolvedora entende que o perfil dos jogadores hoje é outro, com uma disponibilidade de tempo (e paciência) diferente. E ela respeita isso. O game pode até ser uma homenagem, mas tem personalidade e suas próprias ideias.

Pouca conversa, muita ação

Assim como em Contra, a história não tem a menor importância e tudo o que você precisa saber (se é que precisa) é explicado na introdução: as máquinas quase aniquilaram toda a humanidade e agora a Resistência avança em uma última missão suicida, para tentar salvar o restante da civilização. É exatamente o tipo de cenário exagerado e tosco que se espera de algo do fim dos anos 80 ou começo dos anos 90. E eu adoro!

Inicialmente só há duas opções de personagens: a soldada Mavra e o robô Doyle. A jogabilidade é a mesma com os dois, que contam com uma metralhadora padrão, mas podem se equipar com outras três armas encontradas ao longo das fases, além de drones que podem atacar, projetar um escudo ou aumentar sua velocidade.

Toda ajuda (e arma) é bem-vinda!

Depois também é possível desbloquear o ninja Raijin e a guerreira de braço cibernético Suhaila. Eles são um pouco mais difíceis de usar: os dois só contam com um ataque padrão de curta distância, mas que pode ser energizado ao deixar o botão de tiro pressionado para lançar uma poderosa rajada. Eles não têm armas adicionais, mas ainda podem aproveitar as vantagens dos drones.

O objetivo da Resistência é atravessar um total de seis fases cheias de robôs e criaturas biomecânicas, sendo que as quatro primeiras podem ser concluídas em qualquer ordem. Uma tarefa muito mais fácil de falar do que de fazer, porque os inimigos vêm de todos os lados e um golpe é o suficiente para matar os nossos heróis – como nos outros títulos clássicos de mesmo estilo. Claro, se tiver um amigo para ajudar na ação, facilita um pouco.

Blazing Chrome Review
Com um parceiro é mais legal!

Blazing Chrome é bem difícil, como era de se esperar. Você provavelmente vai precisar morrer e tentar algumas vezes para decorar as fases e a movimentação dos inimigos. Mas é aqui que o título se diferencia de Contra e outros games de plataforma e tiro 2D. Como eu disse anteriormente, a Joymasher entende que nem todo mundo tem a mesma paciência que tinha lá nos anos 90, então não precisa se intimidar.

Embora você tenha um número limitado de vidas, ao perder todas, é possível continuar a partir do meio da fase, dependendo do seu progresso nela. O que ajuda a evitar a frustração e a repetição. Mas para quem acha que isso facilita muito e deseja a experiência retrô completa, não se preocupe, pois a dificuldade Hardcore é a crueldade clássica que você estava buscando.

Com apenas seis fases, a jornada acaba sendo bem curta (se você não ficar morrendo o tempo todo), mas o jogo ainda tem mais para oferecer, com um modo espelhado, que inverte todos os caminhos, e o Boss Rush, que o desafia a derrotar todos os chefes no menor tempo possível.

Blazing Chrome Review
A prática leva à perfeição. Ou, pelo menos, a menos mortes.

É hora de torrar cromo!

Blazing Chrome é tudo o que eu esperava e mais. Embora tenha clara inspiração em Contra e Metal Slug, ele também consegue evitar ser apenas uma cópia do passado, entregando uma experiência própria ao mesmo tempo em que é extremamente fiel aos clássicos.

Posso até ter ficado um pouco triste pela campanha acabar tão rápido, mas também acho que é parte do charme. É uma viagem curta e explosiva, como um bom filme de ação. Como um bom jogo de ação.

——————

Blazing Chrome está disponível para PC, Nintendo Switch, Xbox One e PlayStation 4. Este review foi feito com uma cópia para PC cedida pela Joymasher.