Aftersun emociona com delicada história de pai e filha | Crítica

Filme de Charlotte Wells tem Paul Mescal e Frankie Corio como dupla em férias

Pedro Siqueira Publicado por Pedro Siqueira
Aftersun emociona com delicada história de pai e filha | Crítica Crédito: MUBI/Divulgação

Longa de estreia da escocesa Charlotte Wells, Aftersun parte de uma premissa bastante simples. Pai solteiro, Calum (Paul Mescal) leva a filha Sophie (Frankie Corio) em viagem de férias pela Turquia para celebrar os 11 anos da garota. Tratando-se de um drama de pai e filha, o espectador talvez espere explosões de emoções ou coisas do tipo, mas o filme triunfa emocionando com menos, fazendo da sutileza sua maior matéria-prima.

As férias de Calum e Sophie são apresentadas por meio de gravações de uma câmera digital, intercaladas com a narrativa. Descobrimos que a perspectiva vem de uma Sophie adulta (Celia Rowlson-Hall), revisitando as fitas e memórias do pai que, por qualquer motivo, não está mais presente na vida da agora mulher.

A mistura de narrativas visuais é a base do principal questionamento da trama. Quem são nossos pais, de verdade? O quanto sabemos sobre eles hoje e o quanto sabíamos sobre eles quando éramos crianças? Que vida essas pessoas tinham antes nos darem vida?

Na tela da câmera (o mais próximo que podemos chamar de “real”), Sophie e Calum vivem momentos mundanos de felicidade, seja um banho de lama, brincadeiras em um hotel levemente decadente ou uma dança desengonçada. Nas memórias da jovem, pequenos detalhes mostram que, apesar da dedicação em ser um bom pai, Calum esconde demônios próprios, que só serão entendidos por Sophie com a maturidade da vida adulta.

Paul Mescal brilha em atuação contida, mas impactante. O semblante amigável e o sorriso reconfortante estabelece Calum como uma figura simpática, com um amor genuíno pela filha. Indicado ao Oscar de Melhor Ator, o irlandês poderia facilmente ser um dos principais favoritos ao prêmio, se a estatueta do ano não saísse de fábrica já com o nome de Brendan Fraser (A Baleia).

A química do ator com a pequena Frankie Corio dá a liga para o coração do filme. Na porta da puberdade, a jovem lida com a fase esquisita onde não se é nem criança o suficiente para o mais lúdico mundo infantil, nem adolescente o bastante para a explosão de hormônios que a garota vê com curiosidade em outros personagens da viagem. Corio entrega uma personagem com a visão de mundo que se espera de sua idade, sem cair nos artifícios da “garota muito prodígio”, e lutando, mesmo sem nem perceber, para estabelecer uma personalidade própria além de “a filha de Fulano e Fulana“, como todos nós já fizemos um dia.

Como já dito, não espere explosões e nem muita exposição em Aftersun. Boa parte dos 101 minutos de trama são preenchidos por conversas de Calum e Sophie, mas mesmo assim nunca sabemos detalhes dos dois, como por que Calum e a mãe de Sophie (com quem a pequena vive) se separaram, o que o homem faz da vida e até se a vinda da própria Sophie na vida do protagonista foi uma escolha ou um imprevisto. O longa nos põe na pele da filha que, aos 11 anos de idade, não compreende o que pode ser ouvir o pai comentar como “Não se imagina chegando aos 40, porque já foi uma surpresa chegar aos 30.

Embora o longa deixe bastante claro que Calum sofre de uma profunda depressão, cabe ao espectador preencher os vazios intencionalmente deixados pelo rapaz, provando como até as pessoas que mais amamos e julgamos conhecer podem se revelar complicados enigmas. A dicotomia entre a aparente proximidade e um distanciamento quase tangível por vezes é literalmente representado em cena, com conversas entre Calum e Sophie filmadas entre paredes, vidros e barreiras entre os dois.

No fim, talvez nem importe sabermos tudo, embora assim como a mente de uma criança, nosso instinto seja o de perguntar o máximo que pudéssemos para Calum. O que vem antes e o que veio (ou não veio) depois da viagem é um quadro em branco para o espectador.

Tal como nossos próprios registros e memórias, Aftersun talvez se beneficie de novas visitas ao longo dos anos. Mesmo que, como Sophie, estejamos em busca de respostas ou conhecer melhor a nós mesmos por meio de quem amamos, no fundo, o que nos resta é aproveitar ao máximo as gotas de felicidade que a vida nos proporciona, mesmo em um mundo extraordinariamente competente para entristecer.

Aftersun está disponível para streaming na plataforma MUBI. Siga de olho no Nerdbunker para mais novidades e cobertura completa do Oscar 2023. Aproveite e baixe o novo aplicativo Jovem Nerd para iOS ou Android.

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1