9 Quadrinhos brasileiros independentes que você deveria conhecer

Tentamos reunir aqui obras com temáticas diversas para garantir que pelo menos uma delas possa atrair a sua atenção

Marina Val Publicado por Marina Val
9 Quadrinhos brasileiros independentes que você deveria conhecer

O mercado brasileiro de quadrinhos independentes está cada vez maior graças a iniciativas de financiamento coletivo e pequenas editoras incentivando a produção nacional. Decidimos então sugerir algumas HQs que talvez você não conheça, mas que vale a pena dar uma olhada.

Tentamos reunir aqui obras com temáticas diversas para garantir que pelo menos uma delas possa atrair a sua atenção. Dessa vez, não incluímos lançamentos de grandes editoras (como as HQs Laços e Lições da Turma da Mônica) ou webcomics. Quem sabe em um próximo post?

Este não é um guia completo de HQs brasileiras independentes (até porque seria impossível fazer isso com um único post), apenas algumas recomendações pessoais para saber por onde começar e talvez para ficar mais atento nas próximas convenções de quadrinhos que você visitar.

9horas

9 Horas

Autor: Magenta King

Sinopse: Durante uma viagem pelo Ásia, um casal encontra um demônio que os força a passar por diferentes realidades, perigos e desafios a cada 9 horas. Em cada um desses mundos ou “fases”, eles são perseguidos por criaturas bizarras e precisam conquistar pequenos troféus antes de chegar no boss final.

Por que vale a pena: Uma história bizarra que parece ter saído de uma viagem de ácido, mas que revela muitas referências à cultura pop e um amor imenso por quadrinhos. Os traços são como de um caderno de rascunhos dá ainda mais charme para uma história tão única.

barao-macaco

A Ameaça do Barão Macaco

Autores: Hector Lima, Milton Sobreiro e Felipe Sobreiro

Sinopse: Quando algumas operações do tráfico de drogas começam a dar errado, com dinheiro sumindo e chefões do crime aparecendo mortos, a estrutura fica abalada e a desconfiança se instala. Junto com isso, correm boatos sobre uma figura misteriosa com cara de macaco no local dos crimes e uma jornalista começa a investigar o que está acontecendo.

Por que vale a pena: A história é um suspense policial com elementos que fazem parte da nossa realidade. A corrupção é obvia, com provas que desaparecem e pessoas que são consideradas descartáveis. Com tudo isso, é impossível não ficar intrigado e querer saber mais sobre o que está acontecendo e quem diabos é o Barão Macaco.

astromini

Astromini

Autores: Vencys Lao e Welton Santos

Sinopse: Uma aventureira desbrava um Mundo onde nada é o que parece ser.

Por que vale a pena: Esta é uma HQ curta, mas que em suas poucas páginas consegue mostrar um universo novo que mistura natureza e tecnologia e revela aos poucos detalhes que causam estranheza, mas que tornam aquele lugar cada vez mais fascinante. Mesmo sem uma única linha de diálogo, a história consegue emocionar.

mayara-e-annabelle

Mayara & Annabelle

Autores: Pablo Casado e Talles Rodrigues

Sinopse: Duas funcionárias públicas da Secretaria de Atividades Fora Do Comum do Ceará (SECAFC CE) precisam impedir que criaturas sobrenaturais infrinjam as leis humanas.

Por que vale a pena: A HQ usa muito bem o humor para levar o leitor para um universo no qual monstros vivem entre nós. As protagonistas têm personalidades bem distintas e é possível se identificar um pouco com cada uma delas. Além disso, os diálogos entre as garotas servem quase como um dicionário de expressões regionais específicas do Nordeste.

capa-rei-amarelo

O Rei Amarelo

Autores: Pedro Pedrada, Tiago P. Zanetic, LuCAS Chewie, Mauricio R. B. Campos, Péricles Ianuch, Airton Marinho, Marcos Caldas, Erik Avilez, André Freitas, Tiago Rech, Victor Freundt, Rafael Levi, Samuel Bono e Raphael Salimena.

Sinopse: Coletânea com oito histórias de horror inspiradas por O Rei Amarelo, de Robert W. Chambers.

Por que vale a pena: Para quem flerta com o desconhecido e gosta de histórias perturbadoras, O Rei Amarelo leva para uma realidade onde não há nada além de medo, angústia, dor, desespero e pequenos toques de tinta amarela.

moschitto

Moschitto

Autores: Claudia Senlle e George Schall

Sinopse: Quando um membro de uma tradicional família da máfia italiana (de pernilongos) é assassinado brutalmente, só há uma solução: VINGANÇA!

Por que vale a pena: Além dos desenhos incríveis, a obra conta uma história aparentemente banal de uma maneira sensível que faz com que o leitor crie empatia tanto pelo humano, sendo atazanado durante a noite, quanto pelos pobres mosquitos, que sofrem com as baixas durante as batalhas.

sao_paulo_dos_mortos

São Paulo dos Mortos

Autores: Daniel Esteves, Al Stefano, Alex Rodrigues, Ibraim Roberson, Jozz, Laudo Ferreira, Omar Viñole, Samuel Bono, Wagner de Souza, Wanderson de Souza.

Sinopse: Uma coletânea de histórias de zumbis ambientadas nas ruas cinzentas de São Paulo.

Por que vale a pena: Por mais que a temática esteja batida, o comentário político adicionado em algumas das histórias faz com que o quadrinho converse melhor com a nossa realidade. Além disso, cenários familiares para pessoas que conhecem São Paulo deixam a história mais imersiva.

carnaval-de-meus-demonios

Carnaval de Meus Demônios

Autor: Guilherme Petreca

Sinopse: Uma história muda sobre demônios dos quais é impossível fugir.

Por que vale a pena: Todo mundo tem demônios com os quais precisa lidar, sejam problemas do dia a dia ou mesmo medo de abandonar a inocência e encarar a vida adulta. A HQ explora isso com metáforas visuais, mostrando um ciclo que se repete.

feliz-aniversario-minha-amada

Feliz Aniversário, Minha Amada

Autor: Brão Barbosa

Sinopse: A segunda HQ de Brão Barbosa conta a história de um triângulo amoroso bastante bizarro. Qualquer coisa que se fale da sinopse além disso, pode estragar a experiência. O final é inacreditavelmente surpreendente e qualquer sentimento que eu divulgue sobre isso: se achei estranho, bonito, se chorei ou se sorri, também pode estragar a experiência.

Por que vale a pena: É uma HQ que você deve arriscar – não é à toa que foi indicada ao HQ Mix, o maior prêmio dos quadrinhos nacionais, como “Publicação Independete de Autor”. Sobre o traço, ritmo, tudo isso funciona bem. É uma história curta, mas marcante como poucas.

 

O que esquecemos?

Essa matéria foi feita com a participação de Pedro Duarte, que escreveu sobre Feliz Aniversário, Minha Amada.

Caso queira, faça as suas próprias recomendações nos comentários, mas sem fazer SPAM ou ofender as sugestões das outras pessoas, ok?

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1