15 vezes que as indicações do Oscar 2019 entraram para a História

Atriz de Roma é a primeira indígena a ser indicada a um Oscar de Melhor Atriz

João Abbade Publicado por João Abbade
15 vezes que as indicações do Oscar 2019 entraram para a História

Todo ano os indicados ao Oscar entram para a história de alguma maneira especial, mas 2019 foi um ano especialmente prolixo para a diversidade étnica e cultural no cinema. Os filmes Roma e Cold War deram um destaque especial para produções feitas fora dos Estados Unidos e o streaming finalmente chegou com força na premiação — fenômenos até então inéditos no prêmio da Academia.

Listamos aqui 15 vezes que a 91ª edição do Oscar quebrou recordes e fez história. Confira:

Maior Número de indicações para uma só pessoa

Com cinco indicações na 91ª edição do Oscar, Alfonso Cuarón se tornou um dos cineastas com mais indicações por um único filme. São quatro possíveis estatuetas apenas na edição de 2019: melhor filme, diretor, fotografia, roteiro original e filme estrangeiro. Com isso, Cuarón se iguala a Orson Welles e Warren Beatty, dois cineastas lendários na história do Oscar.

Melhor e pior atuação do ano

A atriz Melissa McCarthy conseguiu a façanha de ser indicada tanto como Melhor Atriz no Oscar 2019, quanto como Pior Atriz no Framboesa de Ouro. Na cerimônia da Academia, ela concorre por Poderia me Perdoar? e no Framboesa por Crimes em Happytime — um filme de ação e sexo com bonecos ao estilo Os Muppets.

Essa não foi a primeira vez na história que isso acontece. Em 2010, Sandra Bulluck foi até o Framboesa de Ouro receber o prêmio de Pior Atriz por Maluca Paixão. Na noite seguinte, a atriz subiu ao palco do Dolby Teater para receber o prêmio de melhor atriz por Um Sonho Possível.

Pantera Negra faz história

Pantera Negra fez história na 91ª edição do Oscar. O filme da Marvel se consagrou como a primeira indicação de um filme de super-heróis na categoria de Melhor Filme. Ao todo, o filme dirigido por Ryan Coogler está indicado a sete categorias — incluindo Melhor Trilha, Melhor Canção, Melhor Figurino e Melhor Design de Produção.

Outros filmes de super-herói já foram saudados no prêmio da Academia. No ano passado, o roteiro de Logan representou os heróis. O caso mais emblemático de um filme de herói no Oscar é Batman: O Cavaleiro das Trevas de Christopher Nolan. A produção estrelada por Christian Bale e Heath Ledger recebeu oito indicações, mas ficou de fora da categoria “Melhor Filme”.

Vale lembrar que em 2009 (ano que Cavaleiro das Trevas foi lançado) o Oscar só permitia que cinco filmes fossem indicados a Melhor Filme. Na edição de 2019, oito filmes foram indicados a categoria.

Streaming desponta no Oscar

O ano que se passou foi importante para filmes lançados através de plataformas de streaming. Produções de grande orçamento, como Aniquilação, Bright e Bird Box deram o que falar, enquanto Beaultiful Boy, Cold War e Suspiria realçaram o olhar crítico de filmes exibidos em festivais e lançados no streaming.

A 91ª edição do Oscar destacou diretores consagrados que buscaram financiamento do seus filmes nessas plataformas. Roma, de Alfonso Cuarón, é o primeiro filme da Netflix a ser indicado nas categorias de Melhor filme, diretor, atriz, roteiro, design de produção, edição de som, mixagem e filme estrangeiro.

A empresa comandada por Reed Hastings já tinha vencido o Oscar tanto com o curta White Helmets, quanto com o documentário Ícaro, que cria um retrato profundo sobre os atletas russos que se doparam para olimpíadas.

Além do filme de Cuarón, a Netflix também emplacou A Balada de Buster Scruggs, o novo filme dos Irmãos Cohen (Fargo, Onde os Fracos Não Tem Vez), com quatro indicações. Com isso, a empresa conseguiu 14 indicações ao todo.

O Oscar 2019 não teve louros apenas para a Netflix. O Hulu (plataforma que não está disponível no Brasil) conseguiu sua primeira indicação com o documentário Minding The Gap.

Maior filme estrangeiro da história

Pela primeira vez na história, dois cineastas de filmes estrangeiros estão indicados como melhor diretor. Tanto Alfonso Cuarón (por Roma), como o polonês Paweł Pawlikowski (por Cold War) foram indicados.

Roma também conseguiu se tornar um dos filmes estrangeiros de maior sucesso na história da premiação. O longa mexicano empatou com O Tigre e o Dragão e suas dez indicações.

Outras curiosidades:

  • Hannah Beachler se tornou a primeira afro-americana a ser indicada a design de produção
  • A produtora Gabriela Rodriguez é a primeira hispânica a ser indicada a melhor filme por Roma
  • A atriz Yalitza Aparicio é a segunda da história a ser indicada pela sua estreia no cinema em um filme estrangeiro. A primeira a conseguir esse feito foi Catalina Sandino Moreno por Maria Cheia de Graça
  • Yalitza Aparicio é a quarta atriz latino-americana a ser indicada. As outras são Fernanda Montenegro (1999), Salma Hayek (2003) e Catalina Sandino (2005).
  • Aparicio também é a primeira indígena a ser indicada a um Oscar de Melhor Atriz.
  • O Nasce Uma Estrela de Bradley Cooper é a quarta versão dessa mesma história. Ao todo, os quatro filmes já receberam 26 indicações
  • Roma é o quinto filme da história a ser indicado a melhor filme e longa estrangeiro
  • Depois de décadas de carreira e muitos filmes cultuados, Spike Lee foi finalmente indicado ao Oscar por Infiltrado na Klan.
  • Essa é a primeira vez desde 1966 que mais de um diretor é indicado por uma produção com estética preto e branco. Tanto Roma quanto Cold War escolheram usar essa estética em 2019
  • Com a indicação por O Retorno de Mary Poppins, o designer Sandy Powell se tornou a pessoa viva com mais indicações a design de produção. Ao todo ele tem 14 indicações. O falecido Edith Head teve 35 indicações a esta mesma categoria — um número quase impossível de se superar.
  • Roma foi o primeiro filme indicado sem ter bilheteria