Ian SBF cria série para o Instagram sobre as angústias de ser um artista

Não era pra ser uma Comédia será lançada exclusivamente na plataforma

Camila Sousa Publicado por Camila Sousa

As profissões do meio artístico sempre estão envolvidas em um tipo de “aura”, como se criar músicas, pinturas, filmes, peças de teatro e etc. fosse o trabalho mais gratificante e recompensador do mundo. Quem atua na área, no entanto, sabe que não é bem assim. E esse é o tema da série Não era pra ser uma Comédia, criada por Ian SBF exclusivamente para o Instagram.

A convite do cineasta, o NerdBunker visitou as gravações da produção, nos estúdios da produtora O2, em Cotia (SP). Seguindo protocolos de segurança contra a COVID-19 (uso de máscara, testagem na chegada e álcool em gel), a equipe se reuniu no galpão para contar a história de Camillo (interpretado por Camillo Borges), um cineasta que precisa criar uma comédia, mas gostaria de fazer algo diferente após anos trabalhando com o mesmo gênero.

Ian SBF no set da série

A sinopse torna quase impossível não ligar a história do protagonista com o próprio Ian SBF, um dos fundadores do Porta dos Fundos. Em entrevista ao NerdBunker, o criador do projeto afirmou que teve a ideia da série quando começou a fazer terapia – e foi cobrado por sua terapeuta a escrever sobre si mesmo. Apesar disso, ele diz que Camillo não é uma personificação sua:

“Eu não queria escrever sobre mim exatamente, por mais que pareça. Eu queria escrever sobre coisas que me incomodam, sobre coisas que fazem sentido para mim. Por mais que a gente se coloque um pouco [na história], não sou eu ali.”

Não era pra ser uma Comédia terá quatro episódios, de aproximadamente 5 minutos cada, lançados no Instagram do próprio Ian entre os dias 1 e 4 de dezembro. Cada capítulo mostrará uma etapa da criação do filme, e acompanhamos a gravação do episódio 2, quando Camillo está tentando escrever um roteiro.

“Estamos fazendo tudo como se fosse um drama. É um dramão, o cenário [mostra isso], mas é engraçado e não era para ser. Não era para a gente estar rindo do quanto ele está sofrendo.”

Enquanto tenta escrever, Camillo abre rapidamente vários aplicativos de redes sociais e pensa com certo incômodo sobre os conteúdos que vê ali. Segundo Ian, o protagonista não vê com bons olhos as mudanças que o meio digital está fazendo na sua profissão:

“Ele é zero um cara de TikTok. Ele tá odiando esse mundo de TikTok, é tudo o que ele não quer fazer. Ele tem esse debate com formatos.”

Nostalgia romântica

Camillo Borges no set da série

Ao visitar os cenários criados nos estúdios da O2, é impossível não notar que a casa de Camillo possui vários itens do passado, incluindo prêmios de cinema em sua estante, obras de arte na parede e móveis antigos e bonitos.

Falando ao NerdBunker, o diretor de arte Diego Zimermann explica que tudo isso foi colocado de forma proposital para mostrar que Camillo já foi um grande artista reconhecido, que agora sente que está perdendo espaço para a nova geração e novos formatos de criação de conteúdo:

“O primeiro pensamento [para criar o cenário] foi: esse cara já esteve melhor. Ele tem alguns prêmios, um móvel ou outro que ele guardou e gosta. Mas o design já está meio velho, a cadeira tem um estilo diferente. Por algum motivo esse cara veio parar aqui, nesse lugar em que claramente não está confortável, e ele está fazendo a última tentativa de [realizar algo].”

Unindo esses temas, Não era pra ser uma Comédia promete ser exatamente isso: uma comédia dramática com toques de nostalgia, sobre um realizador que está tentando reencontrar seu lugar no mundo.

“Ele quer continuar relevante, mas não quer abrir mão de se agarrar com as coisinhas dele. O apego ao passado pode ser uma decadência, mas também pode ser uma decadência meio romântica”, completa Zimermann.

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1