Foi assim que os filmes do Studio Ghibli foram parar na Netflix

Toshio Suzuki revela como convenceu Miyazaki a aceitar a parceria

Priscila Ganiko Publicado por Priscila Ganiko
Foi assim que os filmes do Studio Ghibli foram parar na Netflix

Hayao Miyazaki, lendário diretor e criador dos filmes do Studio Ghibli, não entende muito de tecnologia. Ele não usa computadores ou smartphones, e gosta de fazer as coisas do seu jeitinho. Então, como foi que ele permitiu que seus filmes fossem para a Netflix, plataforma de streaming digital?

O mérito é de Toshio Suzuki, produtor igualmente lendário do estúdio e que tivemos a oportunidade de entrevistar (confira clicando aqui!). Suzuki contou como convenceu Miyazaki a aceitar a parceria com a Netflix durante uma entrevista em Shibuya, Tóquio.

Hayao Miyazaki está fazendo um filme mas está tomando muito tempo. Quando isso acontece, naturalmente custa mais dinheiro, então disse que conseguiria o dinheiro para custear a produção. Então, ele disse “não há o que fazer então”.

Além disso, Suzuki disse que reconhece a importância das vendas de DVDs para as pessoas que fazem filmes, mas que acha que a distribuição também é importante. Ele citou as produções originais da Netflix e disse que achou interessante o jeito com que a empresa resolveu abordar isso. Suzuki também ressaltou que a plataforma está investindo em projetos diferentes, que as outras empresas não fariam antes.

As informações são do Yahoo.

Ao todo, 21 filmes do catálogo do Studio Ghibli estarão disponíveis mundialmente na Netflix. Atualmente, 14 deles já estão na plataforma, e os outros 7 chegam no dia 1º de abril.