Pokémon: Detetive Pikachu | Crítica

Uma excelente homenagem à uma das franquias de videogame mais queridas

Priscila Ganiko Publicado por Priscila Ganiko
Pokémon: Detetive Pikachu | Crítica

Não é fácil acertar ao adaptar um jogo para os cinemas. É comum que a adaptação não consiga atingir os fãs que buscam fidelidade à obra que já conhecem, e que também falhe em conquistar um novo público que não consegue se conectar com a trama e os personagens. Felizmente, esse não é o caso com Pokémon: Detetive Pikachu, que presta homenagem a uma das franquias mais queridas dos games.

Primeiro live-action da franquia de mais de 20 anos, o longa não é uma adaptação direta dos jogos clássicos, e sim de um spin-off que conta com um Pikachu falante. A princípio, o projeto levantou dúvidas e muita gente ficou descrente de que daria certo, uma vez que traduzir os modelos cartunescos dos monstros para um visual realista parecia um enorme desafio — e pode até ter sido, mas o resultado foi excelente. No momento em que o primeiro Pidgey atravessou a tela sobrevoando a paisagem, foi impossível segurar a emoção. Para mim, são anos e anos acompanhando a franquia, e ver os monstrinhos animados nessa versão realista foi absurdamente impactante.

Mesmo com o estranhamento inicial, bastaram apenas algumas cenas para que as criaturas se encaixassem perfeitamente no visual dos cenários, fossem eles as florestas ou a colorida cidade de Ryme City. O sentimento de nostalgia foi amplificado pela trilha sonora, que usou acordes conhecidos para construir uma música que, apesar de ser nova, soou bastante familiar — a melodia poderia muito bem fazer parte de qualquer um dos jogos da franquia. Há um quê de magia em ver os Pokémon interagindo com humanos em suas versões realistas, algo saído de um sonho de quem assistiu ao anime ou jogou o clássico Pokémon Red lá nos anos 90.

Pokémon: Detetive Pikachu conseguiu brincar com os limites entre fantasia e realidade, garantindo a imersão do público nesse universo tão rico. Ryme City é uma cidade híbrida entre Londres, Nova Iorque e Tóquio. A arquitetura e os letreiros consolidam os Pokémon como parte da vida cotidiana do lugar, e é lá que começamos a acompanhar a história de Tim Goodman (Justice Smith), um jovem que já compartilhou do sonho de se tornar um treinador, mas acabou deixando isso de lado depois de um grande trauma.

Enquanto Tim explora a casa de seu pai, alguns detalhes deixam claro que Pokémon: Detetive Pikachu se esforçou ao máximo para homenagear todas as vertentes da franquia. Indo desde o anime até mesmo ao jogo de cartas, são inúmeras referências que certamente vão agradar quem já conhece a série sem alienar aqueles que estão começando a entrar em contato com ela. A quantidade de Pokémon é enorme — obviamente não foi possível incluir todos os 809 no longa, mas ainda assim, todas as gerações estão representadas, e os créditos são um espetáculo a parte. Treinadores de todos os cantos do mundo, jogadores de todas as gerações e fãs da franquia encontram algo para amar nesse filme.

O encontro do jovem com o Pikachu é um momento chave que dita o tom do longa: Ryan Reynolds não empresta apenas a voz como também sua atuação para o mascote felpudo, e o resultado é bastante divertido. A química entre Smith e Reynolds é essencial para a credibilidade da trama, que é focada em dramas familiares e também em evolução (trocadilho não-intencional). A história simples e direta com reviravoltas previsíveis funciona para que a mensagem transmitida por Pokémon: Detetive Pikachu consiga chegar da mesma maneira para crianças, adolescentes e adultos. Ainda que os protagonistas passem por problemas diferentes dos que temos em nossa vida cotidiana, é fácil se relacionar com os sentimentos e situações vividas não só por eles, como também pelos outros personagens que aparecem ao longo do filme.

Detetive Pikachu funciona muito bem como um primeiro contato com esse universo Pokémon. Ainda que venha depois de 22 filmes, mais de mil episódios do anime e quase 20 jogos, o live-action respeita as principais regras do universo e consegue traduzi-las e aplicá-las no mundo apresentado. Seja esse o começo da sua jornada ou mais um capítulo para se tornar um mestre Pokémon, Detetive Pikachu mostra o mundo que os fãs da franquia sempre quiseram ver (e vivenciar!).


Pokémon: Detetive Pikachu estreia em 9 de maio de 2019 no Brasil.