5 obras que influenciaram Star Wars

De Akira Kurosawa a Flash Gordon!

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
5 obras que influenciaram Star Wars

Em 4 de maio, nerds ao redor do mundo celebram o Star Wars Day, que surgiu com um trocadilho inspirado na icônica frase “May the Force be with you” (Que a Força esteja com você).

Passados 41 anos da estreia do filme, já sabemos como ele basicamente moldou a cultura pop que consumimos hoje, mas pouco se fala das obras que influenciaram George Lucas e sua equipe na criação da Galáxia muito, muito distante. Por isso, listamos aqui 5 obras que foram inspirações para Star Wars.

Flash Gordon Conquista o Universo (1936)

Um vilão e uma dançarina de biquíni. Lembra de algo?

O filme, que era exibido semanalmente nos cinemas dos EUA, foi reexibido pela PBS no começo dos anos 70, revivendo o interesse do público pela ficção científica. O longa deu a George Lucas a ideia de se apresentar um curto contexto da narrativa antes da história começar de fato. Até o estilo dos textos é parecido:

A criação de Chewbacca também foi resultado de uma influência direta de Flash Gordon Conquista o Universo — o Wookie foi inspirado por Príncipe Thun, um dos aliados de Gordon, criatura que se assemelhava com uma versão bípede de um leão.

Metrópolis (1927)

O longa dirigido por Fritz Lang é um clássico absoluto da ficção científica e uma das obras mais significativas do movimento cinematográfico conhecido como Expressionismo Alemão.

O artista conceitual Ralph McQuarrie, que concebeu as ideias visuais de boa parte dos personagens, naves e objetos de cena de Uma Nova Esperança, se inspirou pelos Maschinenmensch de Metrópolis para o design de C-3PO.

A Fortaleza Escondida (1958)

O cineasta Akira Kurosawa, o grande mestre dos filmes de samurai, foi a maior inspiração para George Lucas na criação de Star Wars.

Lucas usou a trama de Fortaleza Escondida como base para criar a história de Uma Nova Esperança, já que, na época que estava escrevendo o roteiro, tinha acabado de assistir o longa nos cinemas. São várias semelhanças: uma princesa escondida, uma grande guerra entre um exército poderoso e um grupo de rebeldes; e até mesmo um importante diálogo entre dois personagens coadjuvantes num deserto — alô R2-D2 e C-3PO!

Rastros de Ódio (1956)

O longa dirigido por John Ford gira em torno de um homem cuja família é sequestrada por uma tribo nativo-americana. Desesperado, ele precisa partir para tentar resgatá-los.

George Lucas se inspirou no filme para a trama de Anakin e sua mãe em O Ataque dos Clones, de 2002. Dá até pra dizer que toda essa sequência é uma versão acelerada e mais leve de Rastros de Ódio.

Valérian et Laureline (1967)

O elemento mais marcante da HQ francesa criada por Pierre Christin e Jean-Claude Mézières que aparece em Star Wars está em O Império Contra-Ataca.

Em Valerian e o Império de Milhares de Planetas, o protagonista acaba ficando preso em uma espécie de plástico que se assemelha muito à Carbonita que aprisiona Han Solo no filme. Além disso, muitas pessoas apontam a semelhança entre Valerian e o personagem imortalizado por Harrison Ford.

Christin e Mézières já alfinetaram Lucas algumas vezes por ter usado características da HQ em sua obra.


Lucas nunca negou a influência de outras obras na criação de Star Wars. Em 1975, o diretor disse a seguinte frase: “Star Wars deve ser algo muito familiar, mas ao mesmo tempo não ser nem um pouco familiar”.

George pegou diversas referências, misturou-as e deu uma nova roupagem a elas. Talvez essa seja a chave do sucesso da saga e, por isso, continuamos falando desses filmes 41 anos depois do lançamento original.

Que a Força esteja com vocês, nerds!