Supercomputador brasileiro é desligado

Laboratório que aloca o Santos Dumont não estava conseguindo arcar com as contas de energia

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
Supercomputador brasileiro é desligado

O Santos Dumont, supercomputador localizado em Petrópolis, foi desligado por falta de verbas do Laboratório Nacional de Computação Científica para pagar as contas de energia gastas pelo projeto. Os valores chegavam a R$500 mil por mês e o governo interino não reajustou o orçamento da unidade de pesquisa, ocupando 80% da verba do local.

O Santos Dumont era usado nas pesquisas sobre o Zika, o Mal de Alzheimer e o pré-sal. Em entrevista à CBN, Antônio Tadeu, chefe do Sistema Nacional de Processamento de Alto Desempenho disse que o desligamento do supercomputador traz prejuízos incalculáveis para a comunidade científica e que os estudos trariam resultados sócio-econômicos positivos e que agora estão paralisados “pela indefinição do uso” do aparelho.

O supercomputador é o maior da América Latina. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação disse que está explorando um suplemento orçamentário junto ao Ministério do Planejamento, mas não divulgou uma previsão de um anúncio oficial.