Chaves ganhará musical no Brasil

Dirigido por Zé Henrique de Paula, a comunidade de fãs do programa também participará da criação

João Abbade Publicado por João Abbade
Chaves ganhará musical no Brasil

Isso, Isso, Isso! Chaves será tema de um musical no Brasil. Dirigido por Zé Henrique de Paula (O Grande Cometa de 1812), a peça terá músicas e roteiro inéditos feitos por Fernanda Maia — dois veteranos do gênero no país. Chaves: Um Tributo Musical ainda não tem estreia definida, mas já está em pré-produção há alguns meses e foi autorizado a captar R$ 8,7 milhões através da Lei Rouanet.

Produzido por Adriana del Claro, que também produziu os musicais Carrossel e O Grande Cometa de 1812, a obra terá uma temporada inicial de três meses, na cidade de São Paulo. O projeto de um musical sobre o Chaves é ousado e a produção diz que a temporada inicial é só o começo — já que existem planos para uma turnê nacional e exportação para outros países. Para isso, a produtora vai contar com a ajuda da maior comunidade de fãs da série no Brasil, o Fórum Chaves.

Com o objetivo de homenagear Roberto Bolanos, o gigante do entretenimento e gênio da comédia, o espetáculo contará com a máxima excelência em qualidade com padrão similar aos musicais da Brodway, enfatizando e incentivando este conceito de produção musical no Brasil. Essas qualidades darão ao musical uma personalidade contemporânea e descolada, fazendo deste um produto Premium, capacitado para ser exibido não apenas em uma turnê nacional, mas também para possivelmente ser exportado para outros países.

Junto do projeto, foi divulgada uma sinopse da história do espetáculo, que não será apenas uma clássica história do Chavinho. A ideia, ao que a sinopse indica, mistura uma biografia de Roberto Bolanos (o criador do Chespirito) com uma história do Chaves, por isso um tributo a vida do ator mexicano. Leia a sinopse (com muitos detalhes da história) abaixo:

O espetáculo começa com Roberto menino, rindo e brincando com seus brinquedos simples, fazendo palhaçadas para a mãe, para os vizinhos e para a professora. Todos passam por ele sem dar atenção dizendo: “Tinha que ser o Roberto”. O menino percebe que “ninguém tem paciência com ele” e fica triste porque gostaria de fazer as pessoas rirem, mas acha que não é capaz. Então, ouve uma voz que lhe diz que ele deveria prestar muita atenção às palavras que ouve porque um dia ele as usaria para dar alegria aos outros. Roberto tem uma dúvida: Como aquelas palavras poderiam levar alegria para alguém? Fica imaginando e magicamente, o tempo passa. Vemos em seu set de gravação onde ele começa mais um episódio do seu famosos programa uma nova historia do Chaves e seus amigos, os adultos da infância transformaram-se nos personagens da Vila do Chaves. Ao fim desse episódio vemos novamente o menino Roberto que, sem saber que criaria um império, agradece a voz que lhe dá o conselho e pergunta de quem é essa voz? Vemos então uma projeção de Bolaños que, com ternura, acompanha e guia este menino.

O musical terá dois atos, com duração de 2h30. No lado de fora do teatro, haverá uma exposição com itens raros da série. Ao UOL, a produtora Adriana del Claro diz que já tem viagem marcada ao México para negociar itens raros do comediante, como manuscritos e figurinos originais de Chaves. “A ideia é trazer coisas de Bolaños e do universo ‘Chaves’ que nunca ninguém viu. Vamos fazer um tributo. Quero homenagear ‘Chaves’ como o Chaplin latino”, comenta a produtora sobre a ideia.