Apesar de críticas, CEO da Netflix defende renovação de 13 Reasons Why

"Ninguém é obrigado a assistir", disse

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
Apesar de críticas, CEO da Netflix defende renovação de 13 Reasons Why

Desde a estreia da primeira temporada, 13 Reasons Why é alvo de críticas pela forma como retrata o suicídio e episódios de violência sexual. Centenas de pessoas argumentam que a série pode servir como uma “romantização do suicídio” e uma “banalização da depressão e de outros distúrbios mentais”.

A série foi renovada para sua terceira temporada e reacendeu as discussões. Em uma reunião com investidores, Reed Hastings, CEO da empresa, defendeu a renovação:

13 Reasons Why é muito popular e faz muito sucesso. É um conteúdo que engaja o público. É uma série controversa, mas ninguém é obrigado a assistir.

Uma reportagem do Deadline conversou com Tim Winter, Presidente da ONG Parents Television Council, que disse:

A Netflix entregou uma bomba relógio para adolescentes e crianças que assistem 13 Reasons Why. O conteúdo e os temas da segunda temporada são piores do que esperávamos. Nós gostaríamos de ver 13 razões para se ter esperança e redenção depois do suicídio explícito da protagonista. Em vez de melhorar, a segunda temporada só piora as coisas.

Winter criticou a posição de Hastings, dizendo que queria saber se o executivo teria o mesmo argumento de “ninguém é obrigado a assistir” caso a situação envolvesse venda de cigarros ou outros produtos nocivos para crianças e adolescentes.

As duas primeiras temporadas de 13 Reasons Why estão disponíveis na Netflix.