Zoom | 530 mil contas do aplicativo podem estar à venda na dark web

A empresa está sofrendo com com falhas de segurança

Fernanda Talarico Publicado por Fernanda Talarico
Zoom | 530 mil contas do aplicativo podem estar à venda na dark web

Algumas contas que foram hackeadas do Zoom, aplicativo de videoconferência, estão à venda na dark web, segundo informações da BleepingComputer, que divulgou os dados da Cyble, empresa de segurança cibernética.

O relatório da companhia identificou que pelo menos 530 mil contas do aplicativo de reuniões online foram vendidas digitalmente por US$ 0,0020 cada uma. Ainda segundo o que foi reportado, algumas delas estão sendo compartilhadas gratuitamente.

As informações que estão sendo comercializadas de modo ilegal contêm, por exemplo, o endereço de e-mail do usuário, a senha, o link da reunião e a chave do anfitrião, que permite o controle interno da chamada.

A publicação disse que foi identificado as contas de grandes empresas, como o Citybank, o banco de investimentos Chase e também de grandes instituições de educação, estão entre as contas que estão à venda.

A falha no sistema de segurança do Zoom pode permitir que conversas entre usuários sejam invadidas ou espionadas, através desses perfis que foram vendidos ilegalmente.

O Zoom aumentou mundialmente o seu número de usuários diários por causa do isolamento social; medida adotada por diversos países para conter a propagação da COVID-19, o novo coronavírus, e com isso, veio sofrendo ataques de hackers. Há algumas semanas, o Washigton Post publicou uma reportagem falando sobre as falhas no sistema do aplicativo de reuniões virtuais e, com isso, a empresa foi citada duas vezes em acusações sobre possíveis falhas de segurança que expunham imagens particulares dos usuários nos Estados Unidos, e até mesmo o  Ministério da Justiça do Brasil notificou a empresa sobre o caso (saiba mais aqui).