Vespas assassinas com mais de 5 cm são vistas pela primeira vez nos EUA

"Se você encontrá-las, fuja", pedem os especialistas

Fernanda Talarico Publicado por Fernanda Talarico
Vespas assassinas com mais de 5 cm são vistas pela primeira vez nos EUA

Vespas gigantes asiáticas (Vespa mandarinia) foram vistas pela primeira vez no Estados Unidos. Também chamadas de “vespas assassinas”, apicultores do estado de Washington relataram terem encontrado dezenas de abelhas mortas e decapitadas.

Segundo informações da BBC, as vespas podem passar de 5 cm (as maiores do mundo) e são letais – por isso o apelido pouco convidativo. Elas são nativas da Ásia e a sua presença no país americano tem causado alarde e preocupação.

Além de ser capaz de dizimar uma colmeia de abelhas em poucas horas, essa espécie possui uma toxina tão potente que pode até mesmo matar um ser humano não alérgico, caso a pessoa seja picada repetida vezes. Em entrevista à publicação, a bióloga Jenni Cena, do Departamento de Agricultura do Estado de Washington, revelou que entre 30 e 50 pessoas morreram no Japão ao serem picadas pelas vespas gigantes asiáticas. Ainda segundo Cena, o ferrão da espécie é mais longo que o normal, podendo furar os trajes de proteção usados por profissionais, causando fortes dores.

A “boa notícia” é que esses insetos apenas atacam seres humanos no caso de se sentirem ameaçados ou provocados. Em contrapartida, para as abelhas, a presença da espécie asiática é péssima, com grande impacto para as diferentes culturas que dependem de polinização. As vespas chegam a três vezes o tamanho das abelhas, invadem suas colmeias, matam as adultas e comem as larvas e pupas – estágio intermediário entre a larva e o adulto. Cena revelou à BBC que “com menos de 30 (vespas gigantes), é possível dizimar uma colmeia inteira em questão de horas”.

Um dos problemas enfrentados pelos Estados Unidos agora é o fato de que, diferente do que acontece na Ásia, eles não têm nenhum mecanismo natural contra a infestação das vespas gigantes.

Ainda não se tem certeza de como os insetos chegaram ao país, mas agora o foco é erradicar a espécie da região. Em entrevista à CNN, o entomologista Chris Looney, também do Departamento de Agricultura de Washigton, foi pragmático no aviso: “Não tente tirar as vespas você, mesmo se as vir. […] Se você encontrá-las, fuja e chame-nos!”.

As autoridades estaduais montaram armadilhas e lançaram um aplicativo para ajudar a encontrá-las. A intenção é identificar e localizar os ninhos da vespa gigante asiática enquanto a sua população ainda é pequena.