Transistor leva o jogador por uma jornada emocional em um mundo decadente

A última dica da tag #30Dicas30Dicas é um jogo com grande ênfase na trilha sonora

Priscila Ganiko Publicado por Priscila Ganiko
Transistor leva o jogador por uma jornada emocional em um mundo decadente

Segundo jogo lançado pela Supergiant Games, de Bastion (2011), Pyre (2017) e Hades (previsto para 2020), Transistor (2014) afunda o jogador em um mundo ligeiramente desesperançoso, decadente, e ainda assim belo.

O jogo começa com Red, a protagonista, tirando uma espada do corpo de um rapaz. Logo nos primeiros momentos, você descobre que o jovem morto era seu amigo, e que ela é uma cantora — apesar de não ter mais voz. Enquanto atravessa a cidade de Cloudbank em busca do responsável pela morte, a personagem se vê cercada de memórias dela mesma, além de ter uma nova visão da “alta sociedade” que comanda o lugar e de lutar contra o Process, um exército de robôs.

A narrativa de Transistor é simples, mas torna-se rica nos detalhes de cada sala e ambiente que misturam cores neon com melancolia, no texto com pitadas de humor e sarcasmo que revelam que nada ali é como parece ser, e principalmente na trilha sonora, impecável, que acompanha cada momento de Red. As músicas dão o tom das lutas, dos diálogos, e, ainda que não tenha voz, a protagonista dá um jeito de cantarolar em todas as faixas.

Assim como em Bastion, é possível aumentar a dificuldade das lutas ligando uma série de modificadores que podem fortalecer os inimigos ou diminuir os bônus da protagonista, mas que dão mais recompensas caso o jogador vença. Diferentemente de Bastion, porém, o combate é mais estratégico e pode ser feito através de uma linha do tempo de ações ao invés de combate em tempo real, o que é essencial contra alguns inimigos mais complicados.

Transistor não é um jogo perfeito, mas é um dos meus favoritos. Quando joguei no lançamento, a saga de Red e Transistor, o mundo do game e os personagens me emocionaram de diversas maneiras — isso sem falar da trilha sonora, que me acompanha até hoje!

Transistor está disponível para PS4, PC, iOS, tvOS e Nintendo Switch.


Esta é a trigésima e última recomendação do projeto da redação do NerdBunker#30Dias30Dicas! Durante trinta dias, publicamos uma dica diferente aqui no site e em nossas redes sociais. TwitterInstagram e Facebook. A ideia foi mostrar um pouco mais do que estávamos consumindo por aqui: livros, HQs, animes, séries, filmes, etc. E, com isso, ajudar o leitor nessa batalha que é encontrar algo legal no meio de tanta oferta.

Confira as outras 29 dicas que soltamos no projeto: só escolher e clicar no nome abaixo:

  1. Dorohedoro (anime)
  2. The Arcana (jogo)
  3. Upload (série)
  4. I Am Not Okay With This (série)
  5. Floresta dos Medos (HQ)
  6. Undertale (jogo)
  7. O Sorriso da Hiena (livro)
  8. Um Lugar Chamado Notting Hill (filme)
  9. Haikyuu!! (anime)
  10. Bloodborne (jogo)
  11. The Wicked + The Divine (HQ)
  12. Sayonora Wild Hearts (jogo)
  13. Gravity Falls (série)
  14. Vignettes (jogo)
  15. A Voz do Silêncio: Koe no Katachi (anime)
  16. Bioshock Infinite (jogo)
  17. A Entidade (filme)
  18. Café da Manhã dos Campeões (livro)
  19. Monthly Girls’ Nozaki-kun (anime)
  20. Hollow Knight (jogo)
  21. Fragmentos do Horror (mangá)
  22. Monster (mangá)
  23. Tower of God (anime)
  24. Cook, Serve, Delicious 2 (jogo)
  25. Cadence of Hyrule (jogo)
  26. Papers, Please (jogo)
  27. Orquídea Negra (HQ)
  28. Black Lagoon (anime)
  29. Hellblade: Senua’s Sacrifice (jogo)