Tower of God é um anime cheio de reviravoltas e sem medo de arriscar

Primeira temporada arrasadora com viradas surpreendentes e um universo amplo a ser expandido

Pedro Duarte Publicado por Pedro Duarte
Tower of God é um anime cheio de reviravoltas e sem medo de arriscar

Quando escrevi sobre o primeiro episódio de Tower of God em abril, já havia entendido que o anime tinha grande potencial. Além de um núcleo principal interessante, havia muito a ser explorado e tudo parecia ser conduzido muito bem.

Agora, ao final da primeira temporada de 13 episódios, com o último exibido no dia 24 de junho, aqui no Brasil, exclusivamente no Crunchyroll, Tower of God supera qualquer expectativa do meu texto anterior.

Mas, como esse texto é uma indicação, não posso deixar de falar da trama antes de continuar: a animação, baseada no manhwa de Lee Jong-huia (ou só SIU), conta a história de Bam, que aparece sem memória e sozinho, quando conhece Rachel. Nesse mundo, há a Torre de Deus, e dizem que a pessoa que consegue chegar ao topo pode realizar qualquer desejo. Motivada por isso e desejando poder ver as estrelas, Rachel abandona Bam, que decide segui-la.

É um anime com excelente cenas de ação, personagens tridimensionais e bem explorados. Mesmo os secundários (e os passageiros) são bem explorados. Os mistérios sobre a torre mantêm o clima sempre tenso, com muitas perguntas que seguram a audiência.

Destaco duas coisas que me fizeram indicar o anime aqui. Primeiro, a trilha sonora impecável, que ajuda a elevar a obra acima de “só mais um shonenzão”, misturando elementos tradicionais com modernos. Segundo, a narrativa que não enrola, não utiliza de momentos expositivos e repetições.

Em Tower of God, quem pegar os detalhes pegou e consegue ligar os pontos mais facilmente. E isso é excelente, principalmente se olharmos a tendência dos títulos mais populares de esmiuçar cada detalhe, sem deixar margem para interpretação e teorias.

Tower of God é sobre intrigas, inveja, ganância, jogos mentais, regras (e se vale a pena quebrá-las). Tudo com muita ação, humor na dose certa e personagens excelentes. É uma aula de como usar modelos e padrões que já vimos muitas vezes e ainda surpreender.


Esta é a vigésima terceira recomendação do projeto da redação do NerdBunker#30Dias30Dicas. Durante trinta dias vamos publicar uma dica por dia aqui no site e em nossas redes sociais. TwitterInstagram e Facebook. A ideia é mostrar um pouco mais do que estamos consumindo por aqui: livros, animes, séries, filmes, etc. E ajudar o leitor nessa batalha que é encontrar algo legal no meio de tanta oferta.

E temos outras dicas no ar. Só escolher e clicar no nome abaixo e conferir!

  1. Dorohedoro (anime)
  2. The Arcana (jogo)
  3. Upload (série)
  4. I Am Not Okay With This (série)
  5. Floresta dos Medos (HQ)
  6. Undertale (jogo)
  7. O Sorriso da Hiena (livro)
  8. Um Lugar Chamado Notting Hill (filme)
  9. Haikyuu!! (anime)
  10. Bloodborne (jogo)
  11. The Wicked + The Divine (HQ)
  12. Sayonora Wild Hearts (jogo)
  13. Gravity Falls (série)
  14. Vignettes (jogo)
  15. A Voz do Silêncio: Koe no Katachi (anime)
  16. Bioshock Infinite (jogo)
  17. A Entidade (filme)
  18. Café da Manhã dos Campeões (livro)
  19. Monthly Girls’ Nozaki-kun (anime)
  20. Hollow Knight (jogo)
  21. Fragmentos do Horror (mangá)
  22. Monster (mangá)