Todo o Dinheiro do Mundo | Christopher Plummer não quis assistir às filmagens de Spacey

Ator teve que substituir Kevin Spacey e gravar todas as suas cenas em duas semanas

Tayná Garcia Publicado por Tayná Garcia
Todo o Dinheiro do Mundo | Christopher Plummer não quis assistir às filmagens de Spacey

Todo o Dinheiro do Mundo foi um filme que marcou a história da indústria cinematográfica, sem nem mesmo chegar aos cinemas: foi a primeira produção a remover um ator e substituí-lo, meses antes de sua estreia.

Christopher Plummer foi o escolhido para substituir Kevin Spacey como J. Paul Getty, após as acusações de assédio sexual, e o ator teve que realizar todas as suas filmagens em apenas duas semanas.

Em entrevista para a Hollywood Reporter, Plummer contou como foi a experiência de ter que interpretar um personagem de última hora e que a principal dificuldade foi decorar muitas falas.

[A parte mais difícil] foi decorar todas aquelas falas! Mas elas foram ficando mais fáceis. Eu filmei as mais difíceis primeiro, que pareciam assustadoras no papel, mas a melhor maneira é capturar [a sua essência] e fazer da maneira correta, ou você acerta em cheio ou erra miseravelmente. Essa foi a melhor escolha da agenda e fiquei feliz quando ficamos livres das partes difíceis. […] Isso tudo me lembrou um pouco de teatro, onde você faz toda a cena baseada em sua memória, então não foi tão desconfortável. E então eu entrei em um ritmo e pensei, “Que jeito ideal de trabalhar!” […] Eu apenas segui o roteiro e as sugestões de Ridley, então tive que inventar certas coisas do meu instinto. Eu apenas dependi de minha imaginação de como o homem [J. Paul Getty] teria sido.

Além disso, ele conta que não teve muita maquiagem – apenas que puxaram suas orelhas para frente, o que doeu um pouco, mas fez ele parecer muito mais com o personagem. E o ator revela que apesar de ter um período curto para filmar, nada apareceu ser apressado.

Não, porque nós criamos nosso próprio passo. E Ridley “cobriu” tão perfeitamente com suas câmeras, que fizemos muito rápido. Ridley é rápido com os takes – ele geralmente só faz duas, porque cobre tudo muito bem com as câmeras. Ele sabe exatamente como “cortar” uma cena.

E para finalizar, Plummer conta que não quis assistir nada das filmagens de Kevin Spacey – porque isso afetaria seu trabalho.

Não faz bem para nenhum ator assistir outra pessoa [atuando]. Quando você ganha o papel em uma peça de teatro, é melhor você não assistir ela antes, para não ser influenciado de alguma maneira – o papel vem de você. Eu vi apenas um trecho do sequestro, que foi muito bem feita, mas isso foi tudo o que eu vi. Pequenos trechos que não envolveram J. Paul Getty. Eu também não assisti o trailer [com Spacey].

Spacey foi substituído por Christopher Plummer poucos meses antes da estreia, o que gerou um gasto de US$ 10 milhões para a produção do filme. O filme acabou sendo adiado em alguns dias, no entanto a decisão não teve ligação com a mudança.

Antes das denúncias de assédio sexual, Spacey interpretaria J. Paul Getty, um magnata do petróleo que se recusou a pagar resgate de seu neto sequestrado. Após a recusa os sequestradores enviaram uma suposta orelha do neto à imprensa. Para este papel, o ator usou muita maquiagem e próteses para ficar irreconhecível.

Plummer substituiu o ator e filmou suas cenas como Getty ao lado do elenco e do diretor Ridley Scott em apenas algumas semanas. No momento, o filme está em um intenso processo de pós-produção para substituir os atores.

Todo o Dinheiro do Mundo será lançado em 25 de dezembro de 2017, nos EUA. No Brasil, a previsão de estreia é para 18 de janeiro de 2018.

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1