Tim Berners-Lee, criador da web, fala das ameaças ao futuro da internet

A rede mundial de computadores completou 30 anos

Marina Val Publicado por Marina Val
Tim Berners-Lee, criador da web, fala das ameaças ao futuro da internet

Há 30 anos, nasceu a estrutura que permitiu que as pessoas trocassem dados através de uma rede mundial de computadores. Hoje, o criador da World Wide Web, Tim Berners-Lee, lançou uma carta aberta na qual reflete sobre o impacto da rede ao longo dos anos e como podemos melhorar a internet.

Hoje, 30 anos depois de minha proposta original para um sistema de gerenciamento de informações, metade do mundo está on-line. É o momento para celebrar o quão longe chegamos, mas também uma oportunidade para refletir sobre até onde temos de ir ainda.

A web se transformou em praça pública, biblioteca, consultório médico, loja, escola, estúdio de design, escritório, cinema, banco e muito mais. É claro que com cada novo recurso, cada novo site, a divisão entre os que estão on-line e os que não estão, vai aumentando, tornando ainda mais imperativo fazer da web um local disponível para todo o mundo.

E ao mesmo tempo que a web foi criando oportunidades, dando voz aos grupos marginalizados e facilitando nossas vidas diárias, também criou oportunidades para golpistas, dando voz àqueles que espalham o ódio e tornando mais fácil a perpetração de todos os tipos de crime.

Berners-Lee aponta três fontes que causam os maiores problemas na internet de hoje:

  • Intenções maliciosas, como invasões de hackers e assédio
  • Design que não valoriza o usuário, como modelos de receita que caçam cliques
  • Consequências não intencionais, como polarizadas ou agressivas

O criador da web admite que a primeira categoria é impossível de ser erradicada completamente, mas que leis e códigos podem minimizar o comportamento. As outras duas questões exigiriam entender os sistemas existentes e pensar em ajustes ou em novos modelos. Ele propõe, por exemplo, construir um novo Contrato para a Web junto com governos, empresas e cidadãos do mundo todo.

Berners-Lee encerra a carta incentivando a luta para melhorar a internet:

A web é para todos e, coletivamente, temos o poder de mudá-la. Não será fácil. Mas se sonharmos um pouco e trabalharmos muito, podemos conseguir a web que queremos.