The Irishman, novo filme de Scorsese para Netflix, pode ter custado US$ 125 milhões

Diretor teria gastado bem mais do que deveria com o filme

João Abbade Publicado por João Abbade
The Irishman, novo filme de Scorsese para Netflix, pode ter custado US$ 125 milhões

The Irishman, o novo filme de Martin Scorsese com Robert De Niro e Al Patino, pode ser o longa mais caro da carreira do diretor. O filme começou sendo produzido independentemente, até que a Netflix comprou a produção por US$ 105 milhões e concordou em ceder um orçamento de US$ 125 milhões.

Entretanto, informantes do site PageSix dizem que o diretor estourou a estimativa e levou os custos de The Irishman para US$ 175 milhões. Ainda resta finalizar a edição do filme e criar a trilha sonora, então este custo pode subir ainda mais.

O longa teve uma extensa produção e passou por 106 dias de filmagens, divididos entre oito meses de gravações. Além das longas filmagens, a produção terá uma pós-produção extensa pois trata-se de um filme de época que requer muito CGI.

Para efeitos de comparação, Operação Red Sparrow custou US$ 69 milhões e A Bela e a Fera foi produzido com US$ 160 milhões.

O longa vai acompanhar a história real de Frank Sheeran, um mafioso suspeito de ter matado Jimmy Hoffa, líder sindical cujo corpo nunca foi encontrado.

O longa terá Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci em seu elenco.

The Irishman tem previsão de lançamento para 2019.