Takashi Shimizu, da franquia O Grito, usa medos de infância como inspiração

E ele morre de medo de sangue!

Marina Val Publicado por Marina Val
Takashi Shimizu, da franquia O Grito, usa medos de infância como inspiração

Durante um painel da CCXP 2019, Takashi Shimizu, criador de O Grito, falou um pouco sobre sua carreira e seu processo criativo.

Shimizu criou e dirigiu os filmes Ju-On: The Curse (2000), Ju-On: The Grudge (2002) e Ju-On: The Grudge 2 (2003), longas que serviram de inspiração para as versões norte-americanas da franquia O Grito, também dirigidos por ele. Por conta disso, as duas versões do primeiro filme tem cenas bastante parecidas.

Apesar de tanta experiência com filmes de terror, o diretor admitiu que era uma criança medrosa  e que muitos dos elementos de Ju-On são baseados em medos dele quando criança:

Qualquer barulho me deixava assustado, a minha imaginação começava a fluir e eu imaginava: e se o monstro estivesse aqui na minha cama?

A primeira vez que Takashi Shimizu viu um filme de terror foi aos 14 anos e ele comentou que ficou, ao mesmo tempo, horrorizado e fascinado.

O diretor destacou também que tem algumas restrições em relação ao visual. Ele não gosta muito de gore e prefere deixar o medo implícito.

Não odeio gore, mas não gosto de ver sangue… Até quando vou fazer exame de sangue, não gosto de ver.

Antes de encerrar, Shimizu também compartilhou mais uma curiosidade: aquele som terrível das criaturas sobrenaturais de O Grito foi feito por ele mesmo!

O diretor já foi elogiado por nomes importantes do terror japonês, como Kiyoshi Kurosawa (Pulse) e o roteirista de mangá Hiroshi Takahashi. Ele ainda tem no currículo Almas Reencarnadas e o live-action de O Serviço de Entregas da Kiki. Seu próximo lançamento, Howling Village, está marcado para 2020.