Retrospectiva da decepção: algumas séries prometiam muito em 2017, mas…

De Punho de Ferro a Star Trek...

João Abbade Publicado por João Abbade
Retrospectiva da decepção: algumas séries prometiam muito em 2017, mas...

Esse foi um bom ano para as séries de TV, mas como nem tudo são flores, existem aqueles casos de séries que criamos expectativas com os trailers e informações… Mas acabam sendo um verdadeiro desastre. Selecionamos aqui as sete séries que mais nos decepcionaram em 2017:

Punho de Ferro (Netflix/Marvel)

Punho de Ferro era o último grande pilar da primeira leva de heróis da parceria entre Marvel e Netflix. A série vinha com grandes promessas de muitos efeitos visuais e de explorar e apresentar todo o universo místico oriental da editora. No fim das contas, a série entrega um roteiro ruim, cenas de ação deploráveis e o pior vilão da divisão de TV da Marvel. Além disso, Danny Rand é o herói menos carismático dessas séries.

Os Defensores (Netflix/Marvel)

Defensores era pra ser o grande marco da Marvel na TV: a união do supergrupo apresentado durante anos em uma série com uma ameaça maior e mais perigosa. Entretanto, a série muito esperada pelos fãs, focou na história de Punho de Ferro — o pior personagem de todas as séries da parceria –, além de ter vários furos de roteiro e cenas de ação fracas. Mesmo com apenas oito episódios, a série é extremamente lenta e desinteressante.

Inumanos (Canal Sony/Marvel)

Depois de anos no limbo como um longa-metragem, a Marvel decidiu levar os Inumanos para a TV em uma parceria milionária com a Imax. A série, que deveria ser uma superprodução, foi criada e filmada na correria, o que resultou diálogos péssimos, lutas mal coreografadas, cenários e efeitos visuais lamentáveis. Este definitivamente não foi um bom ano para a Marvel na TV, mas Inumanos consegue chegar ao ponto mais baixo.

House of Cards – Quinta Temporada (Netflix)

Depois de anos de prosperidade e ótimas tramas e reviravoltas, House of Cards entra para a lista de séries que se perderam com o tempo. Desde sua terceira temporada o nível da série vinha caindo aos poucos e neste quinto ano ela chega em seu ponto mais baixo. A primeira metade da temporada até se salva, mas a parte final entristece quem acompanhou a série nos últimos cinco anos.

Powerless (Warner Channel/DC)

A premissa de Powerless era muito interessante: uma comédia totalmente despojada sobre uma empresa de controle de danos dos super-heróis da DC. A série tinha boas oportunidades de humor e poderia se tornar quase como um The Office de heróis. Mas isso passou muito longe. A série, agora já cancelada, erra na escolha das piadas, trabalha mal seus personagens e desperdiça uma trama legal com desenvolvimento ruim.

Star Trek: Discovery (CBS/Netflix)

Encerrando um período de 12 anos de hiato da franquia na TV, Star Trek: Discovery retoma a saga na televisão com uma boa qualidade técnica, mas um foco dispare naquilo que a franquia foi conhecida nestes últimos 50 anos. Discovery opta por focar muito mais em guerras espaciais e combates do que exploração e diálogos característicos da série. Assim, o programa feito pela Netflix e CBS deixa o otimismo da franquia meio de lado.

Sherlock – Quarta Temporada (BBC)

Depois de anos com os roteiros e conceitos mais legais da TV britânica, Stephen Moffat infelizmente erra com a quarta — e possivelmente última — temporada de Sherlock. Após o regular especial de Natal — que não conseguiu ser tão impactante quanto as temporadas iniciais –, os três episódios da nova temporada desandam completamente com “The Six Thatchers” — episódio de abertura. Os roteiros se tornaram bagunçados e a relação entre John e Sherlock — uma das coisas mais legais da série até então — ficou desinteressante.

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1