OMS oficializa vício em videogames como transtorno mental

Condição estará na nova versão do CID

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
OMS oficializa vício em videogames como transtorno mental

Em dezembro de 2017, a OMS lançou uma primeira versão do texto da nova edição da Classificação Internacional de Doenças (CID) e nela o vício em videogames era categorizado como um transtorno mental. Nesta segunda-feira (18), a instituição oficializou a inserção do vício no livro, intitulado de Transtorno do Videogame. A informação é do Engadget.

De acordo com o texto, a condição se caracteriza quando as jogatinas “se tornam mais importantes que outros interesses da vida e continuam/aumentam mesmo com consequências negativas”. Para alguém ser diagnosticado com o Transtorno do Videogame, os sintomas precisam ser evidentes no período de 12 meses (com exceção de casos extremos).  A falta de controle na frequência, duração e intensidade das sessões também é fator determinante para o diagnóstico.

A OMS também inseriu um padrão de comportamento chamado de “Jogatina Arriscada”, na qual o indivíduo aumenta o risco de causar danos físicos ou mentais para si mesmo ou para outros ao seu redor por conta dos jogos. Um exemplo disso está nos casos onde jogadores deixaram de comer ou beber água por conta da imersão no game.

Uma reunião, que acontecerá em 2019, definirá por completo o texto final do CID-11. É esperado que médicos do mundo todo adotem a classificação como a vigente a partir de 2022.