Mark Zuckerberg pede para que os governos criem regulamentações para a internet

Em texto publicado pelo Washington Post, executivo apresenta suas preocupações acerca da saúde da web

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
Mark Zuckerberg pede para que os governos criem regulamentações para a internet

Mark Zuckerberg escreveu um texto opinativo publicado pelo Washington Post. No artigo, o fundador do Facebook pede para que os governos do mundo todo criem regulamentações e novas regras para a internet.

“Eu acredito que precisamos de papeis mais ativos por parte do governo e dos legisladores”, escreve o executivo. “Criando novas regras para a internet, nós conseguimos preservar o que há de melhor — a liberdade de expressão e a possibilidade de empreendedores criarem novas coisas — ao mesmo tempo que protegemos a sociedade de danos maiores”, explica.

Para Zuckerberg, a internet precisa de regulamentação em quatro áreas principais: eliminar conteúdo nocivo, proteger a integridade de eleições, preservar a privacidade dos usuários e permitir a portabilidade de dados.

Sobre a eliminação de conteúdo nocivo, Mark argumenta que é impossível remover tudo que há de ruim na internet, mas que, ao criar uma regulamentação que normatiza alguns pontos, torna-se mais fácil para que as empresas e redes sociais consigam averiguar de forma mais efetiva a proliferação de certos tipos de discursos e práticas criminosas presentes na web. O empresário também declara que todos os serviços digitais deveriam lançar relatórios públicos para informar aos usuários quais tipos de conteúdos nocivos são removidos de cada plataforma, prática que o Facebook adotou recentemente.

Acerca da proteção da integridade de eleições, Zuckerberg apresenta as mudanças feitas pelo Facebook nos últimos meses. A plataforma mudou sua política de anúncios de campanha e agora apresenta aos usuários um banco de dados que mostra quais candidatos contrataram os serviços de propaganda eleitoral na rede social.

Para proteger a privacidade dos usuários, o executivo diz que concorda com a Regulamentação Geral de Proteção de Dados da União Europeia, medida que está valendo na Europa desde maio de 2018, e que apresenta uma série de medidas de cautela para a administração dos dados de quem navega pela internet. Ele aponta que uma única regulamentação global seria ideal, nesse quesito.

Por fim, Mark fala sobre a portabilidade de dados, a possibilidade de um usuário migrar todas as suas informações de um serviço para o outro sem muita dificuldade. Para ele, isso permitira que o mercado de empresas digitais crescesse ainda mais, com uma concorrência saudável entre os serviços. O executivo declarou seu apoio ao Data Transfer Project, plataforma que já permite a transferência desse tipo de dado.

Antes de encerrar seu texto, o fundador do Facebook se diz aberto a discutir todas essas questões junto de legisladores do mundo todo e diz que as regulamentações definirão melhor os direitos e deveres dos usuários, empresas e governos acerca do mundo digital.