Keep Your Hands Off Eizouken! | Crítica

Eizouken! é um convite a criatividade, um turbilhão de sentimentos, uma obra perfeita

Pedro Duarte Publicado por Pedro Duarte
Keep Your Hands Off Eizouken! | Crítica

Keep Your Hands Off Eizouken! é uma das melhores animações da história recente (sendo conservador, porque já acho que entra no panteão dos grandes, como Cowboy Bebop, Fullmetal Alchemist, entre outros).

É uma obra para assistir mais de uma vez, entrar no universo dos animes de um jeito inovador, bonito e emocionante. O traço único, as personalidades das personagens e as vozes originais maravilhosas fogem de qualquer clichê de títulos contemporâneos. E Eizouken! é, na verdade, um grande “meta-anime” sobre o processo de criação e produção das animações japonesas.

Em 12 episódios, de 24 minutos cada, você conhece a história de Midori Asakusa, a especialista em cenários, conceitos e mecânicas; Tsubame Mizusaki, uma atriz e modelo famosa, mas que sonha em trabalhar com animação — o forte dela é animar os personagens. E Sayaka Kanamori, uma garota empreendedora e que consegue enxergar o talento das duas como um investimento. Juntas, elas montam o “Clube do Audiovisual” com o objetivo de fazerem um anime.

O diferencial deste título é a representação da imaginação de cada uma delas, que leva o espectador para dentro dos detalhes de fazer uma animação: sonorização, storyboard, custos, prazos, diferentes técnicas, a equipe necessária, etc. Tudo de forma lúdica, leve e inteligente. Em paralelo, descobrimos as motivações de cada uma, o que transforma a premissa simples em algo humano e de fácil identificação.

Sem enrolação, conhecemos e nos identificamos com os traços de personalidade de cada personagem, apresentados em meio a uma história maior, com momentos dedicados a cada uma delas, de maneira fluida. Cada episódio gera uma sensação diferente e é surpreendente como Sumito Ōwara (e sua equipe) conseguem transformar algo comum — afinal, ninguém está em busca de um amuleto especial, de salvar o mundo, de ser o lutador mais forte do planeta ou nada parecido — em algo empolgante e encantador.

Talvez o segredo seja justamente esse: de alguma forma, toda criança já pensou em ser um artista, fazer quadrinhos, virar um mangaká, ser um jogador de futebol, um escritor, um youtuber famoso e um monte de outras profissões extraordinárias. Eizouken! mostra que realizar qualquer um desses sonhos depende também de muito trabalho, estudo e amor pelo que se faz. O anime representa os sonhos que qualquer um de nós já tivemos, e que continuam escondidos lá no fundo, se tornando realidade.

“Vruuum” “Tchuuun”

Toda vez que uma cena é imaginada por elas, nós entramos naquele mundo. E elas se tornam construtoras daquele lugar (com direito a capacete de proteção e tudo, quando necessário). O traço muda, a trilha sonora também e os efeitos sonoros feitos com as vozes (afinal, tudo ainda está na imaginação) que representam robôs gigantes, naves, lasers, acertam direto no coração.

Cena do primeiro episódio quando imaginam a mecânica de uma máquina

O anime brinca ainda com diversos gêneros, mostrando Mechas (robôs gigantes), monstros, aventura, drama, comédia, tudo dentro de episódios aparentemente despretensiosos, mas com camadas que mostram um pouco das relações humanas — incluindo desavenças, diferenças de opinião e amizade. Ao mostrar diferentes gêneros, cria espaço para apresentar como se constrói cada um deles. A importância do silêncio que aumenta o impacto em cenas de ação, o ângulo certo no olhar do protagonista de uma aventura (que também economiza tempo da equipe de animação), entre outras coisas.

A cidade onde se passa a trama é uma atração a mais. É um cenário vivo, com pessoas diversas e um histórico interessante, um convite para a criatividade. Construída sobre outros projetos de cidade, é um labirinto que revela um novo caminho a cada episódio e nova aventura.

Uma cidade cheia de surpresas e cenários incríveis que te mostram mais sobre o Japão

Keep Your Hands Off Eizouken! é um tributo aos profissionais da animação, uma forma de eles nos apresentarem o tanto de dedicação e empenho que é preciso para realizar o trabalho. É também um passo adiante no mundo dos animes, que provoca um milhão de sentimentos e reações em um curto tempo: nostalgia, melancolia, sorrisos, empolgação, aprendizado. E, ao final da jornada, gratidão.

Você confere a série no Chrunchyroll. O mangá continua saindo no Japão desde 2016. Uma versão live-action estreia por lá no dia 15 de maio de 2020. E o título também vai ganhar uma série live-action que estreia no dia 5 de abril de 2020 (leia mais aqui).