A internet pode ser uma causa para a diminuição da atividade sexual nos EUA

Artigo estudou queda na frequência dos norte-americanos

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
A internet pode ser uma causa para a diminuição da atividade sexual nos EUA

Um artigo publicado na revista Archives of Sexual Behavior essa semana indicou que os norte-americanos estão fazendo menos sexo nos últimos sete anos do que na década de 1990 e, dentre outros fatores culturais, um deles foi o aumento no uso da internet  e das mídias sociais.

Antes de expor razões, o estudo aponta que na década de 1990 os americanos faziam sexo entre 60 e 65 vezes ao ano e que esse número diminuiu para aproximadamente 53 vezes de 2014 para cá. Em nenhum momento o artigo diz que o tempo que passamos na frente do celular ou do computador seja a principal causa, mas aponta o fenômeno como uma das (muitas) razões para isso, dizendo que a maior delas está relacionada ao fato de que o número de indivíduos sem um parceiro reecorrente aumentou significativamente nos últimos anos.

Antes de jogar o celular na lata do lixo em pânico com a constatação, saiba que a metodologia tinha algumas limitações, já que a definição de sexo variava de pessoa para pessoa — algumas, por exemplo, consideravam a masturbação como uma atividade sexual, enquanto outras só enxergavam o conceito como uma prática entre duas ou mais pessoas.

De todo o jeito, talvez seja melhor deixar o Twitter de lado de vez em quando.