Horizon Chase 2 expande um dos melhores jogos brasileiros | Review

Com novas pistas e multiplayer online, sequência segue tão viciante e competente quanto o antecessor

Arthur Eloi Publicado por Arthur Eloi
Horizon Chase 2 expande um dos melhores jogos brasileiros | Review Horizon Chase 2/Aquiris Game Studios/Divulgação

Na era de ouro dos jogos brasileiros, a Aquiris conseguiu chamar a atenção de jogadores do mundo todo com Horizon Chase. Ainda que seja moldado pela nostalgia particularmente brasileira por títulos como Top Gear, o game de corrida conquista pela trilha sonora, visuais coloridos e ótima jogabilidade.

Muita coisa mudou desde que o antecessor foi lançado nos celulares, lá em 2015. O jogo chegou ao PC e consoles, ganhou expansão dedicada a Ayrton Senna e a Aquiris foi adquirida pela Epic Games, adotando o nome de Epic Games Brasil. Após oito anos e várias mudanças, Horizon Chase 2 chega para renovar o vício pela velocidade.

O jogo já havia sido lançado para dispositivos Apple em 2022, mas enfim chega ao PC e Nintendo Switch, já mirando nos demais consoles em breve. Aqui, a experiência é muito similar ao antecessor: o modo principal te leva para viajar por várias partes do mundo em corridas e pistas progressivamente mais desafiadoras.

Inspirado por clássicos arcade, tudo é bem tradicional. As disputas ocorrem entre 20 pilotos, sendo os demais 19 controlados pelo computador, e o objetivo é chegar em primeiro, com tarefas opcionais de coletar determinada quantidade de moedas azuis pela pista ou então finalizar a corrida no menor tempo possível.

O charme de Horizon Chase 2 é justamente sua apresentação retrô. Tudo é colorido e assumidamente ‘videogamístico’, com cenários repletos de monumentos e paisagens chamativas para encher os olhos nas laterais das pistas. O visual é o principal upgrade da sequência. Ao trocar a engine Unity pela Unreal Engine, a desenvolvedora atinge gráficos impressionantes sem abrir mão da excelente estilização do original. O resultado são carros e fases repletos de detalhes que só reforçam o enorme carisma da experiência.

Horizon Chase 2 melhora tudo que era bom com visuais melhorados e multiplayer online [Créditos: Divulgação]
A seleção de pistas consegue ser ainda melhor que no original. Com fases nos Estados Unidos, Brasil, Tailândia e muito mais, o jogo cria ambientes cheios de cor e vida. Naturalmente, é empolgante disputar corridas em cidades brasileiras, repletas de locais icônicos, como passar de carro pelo portal de Gramado (RS), curtir as ruas do carnaval de Olinda (PE) ou então correr ao lado do MASP, na capital de São Paulo. Os desenvolvedores dedicam o mesmo carinho para fases estrangeiras, como uma excelente pista em Bangkok, na Tailândia, que é repleta de prédios iluminados e templos grandiosos.

A jogabilidade não sofreu grandes mudanças — o que é bom, visto que já era muito satisfatória no antecessor. Há melhorias no controle, muito bem-vindas em curvas em alta velocidade, e nas colisões com o cenário e outros corredores, reduzindo a incidência de batidas frustrantes. O novo game também abre mão do sistema de combustível do original, que te obrigava a coletar galões de gasolina pela fase ou correr o risco de fracassar. A remoção ajuda com que o foco do jogador não seja dividido com nada além de vencer.

A simplicidade de controles e objetivos é o grande apelo de Horizon Chase 2. As corridas são intensas e rápidas, durando poucos minutos, o que torna altamente viciante — especialmente no Nintendo Switch. O game é perfeito para o modo portátil do console híbrido, permitindo boas doses de jogatina em qualquer lugar, e ainda traz multiplayer em tela dividida para fazer bom uso dos dois Joy-Cons. É uma pena que o visual na plataforma não fica a altura do PC, mas a facilidade de curtir corridas fora de casa compensa.

Visual de Horizon Chase 2 no Switch deixa a desejar, mas vale a pena para curtir o game em qualquer lugar [Créditos: Captura de tela]
A grande adição da sequência é o multiplayer online. É uma novidade altamente necessária, especialmente por não ter substituído a tela dividida. As partidas online são corridas únicas contra estranhos, em pistas aleatórias e em condições padrão, mas é possível juntar os amigos para uma experiência mais customizada. Nos nossos testes, tivemos problemas para encontrar outros jogadores, com o game nos colocando em salas vazias e computadorizadas.

Ainda assim, há crossplay para reunir amigos de plataformas distintas, e bastante modos disponíveis para que nunca falte o que fazer na ausência de gente para jogar. A campanha é curta e divertida com um passeio global, mas há torneios dedicados com várias corridas em sequência e desafios semanais de todo tipo.

O game ainda traz uma modesta seleção de carros, que podem receber upgrades e customizações, como pinturas que fazem referência ao carro de Paul Walker em Velozes e Furiosos, ou então o eterno “Carro da Firma”, vulgo o Uno de companhia telefônica com a escada no topo. Esse senso de humor da Aquiris foi um dos destaques do original e se mantém presente mesmo após a aquisição pela Epic.

Horizon Chase 2 é um lembrete de que o talento do estúdio de Porto Alegre apenas cresce, e agora é dedicado a lapidar uma experiência que já era excelente, viciante e muito satisfatória. Isso demonstra enorme entendimento das forças e fraquezas do original, e o resultado é uma continuação acima do altíssimo padrão estabelecido pelo antecessor.

Horizon Chase 2 está disponível para PC e Nintendo Switch, com crossplay entre as plataformas. A review foi feita com base nas duas versões, sendo a de PC cedida pela desenvolvedora. O jogo também integra o Apple Arcade.

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1