Homem que pirateava mangás é sentenciado a três anos de prisão

Ele também terá que pagar uma multa milionária

Marina Val Publicado por Marina Val
Homem que pirateava mangás é sentenciado a três anos de prisão

As leis de combate à pirataria no Japão são bastante rígidas. Hoje, um homem de 29 anos acaba de ser sentenciado a três anos de prisão por ser o administrador do MangaMura, um site que pirateava mangás.

Romi Hoshino foi preso em 2019 e hoje recebeu a sentença. Além de ser condenado à prisão, ele também terá que pagar duas multas. Uma de 10 milhões de ienes (cerca de R$ 463 mil na cotação de hoje) e outra de 62 milhões de ienes (aproximadamente R$ 2.874 milhões na cotação de hoje). Segundo o Anime News Network, o valor da segunda multa foi baseado em supostos lucros que o homem teve com o site.

Um representante da Shueisha, responsável por One Piece, Naruto e outros mangás, deu uma entrevista coletiva após o veredito afirmando que acreditava que a sentença era apropriada e esperava que isso ajude a parar iniciativas similares. Segundo ele, “se as obras que quem deu seu máximo para criar forem distribuídas de graça, isso prejudica o alicerce para a criação de obras interessantes.”

O MangaMura foi lançado em 2016 e fechado em 2018, após algumas das maiores editoras de mangás entrarem com um pedido de investigação por parte das autoridades japonesas. Estima-se que o site era frequentado por 100 milhões de pessoas mensalmente e disponibilizava 60 mil mangás gratuitamente.

Mais notícias