HBO vai produzir documentário sobre culto de escravidão sexual da atriz de Smallville

Allison Mack foi presa em 2018

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
HBO vai produzir documentário sobre culto de escravidão sexual da atriz de Smallville

A HBO vai produzir uma série documental sobre o NXIVM (pronúncia “Nexium), culto de escravidão sexual que tinha, entre seus líderes, a atriz Allison Mack, de Smallville. A direção será de Jehane Noujaim e Karim Amer. Noujaim teve uma experiência com a seita, que tentou recrutá-la em 2010. A série trará depoimentos de pessoas envolvidas.

Em 2018, Allison Mack, atriz que interpretou Chloe em Smallville, foi presa após um escândalo envolvendo uma seita acusada de escravidão sexual. À época, ela alegou inocência, respondendo ao processo em regime semiaberto.

A Variety reporta que Mack compareceu à corte federal do Brooklyn, em Nova York, e se declarou culpada, tentando um acordo com as autoridades. Ela pode chegar a ser condenada a 15 anos de prisão em uma penitenciária federal.

A prisão ocorreu por conta da descoberta da seita NXIVM, liderada por Keith Raniere (preso em março) e pela própria Mack. O trabalho da atriz dentro do culto era recrutar jovens mulheres, que eram obrigadas a fazer sexo com Raniere sempre que ele desejasse. As moças eram marcadas com um ferro quente que trazia as iniciais de Raniere e de Mack e precisavam seguir uma dieta restritiva rígida e uma série de diretrizes de cuidados pessoais que visavam atingir um padrão de beleza que era preferido pelo líder.

Para evitar que as mulheres se distanciassem do culto, elas eram obrigadas a contar segredos íntimos, que serviam para chantageá-las caso tentassem sair do NXIVM. Tudo isso era envolto em um discurso de empoderamento feminino e libertação, que era propagado através de cursos e palestras. As “escravas” (denominação dada às integrantes do grupo pelo próprio Raniere) eram obrigadas a recrutar cada vez mais adeptas para a seita. Mais detalhes do funcionamento do NXIVM não foram detalhados por enquanto.

Encontrou algum erro na matéria? Avise-nos