Fall Guys: Ultimate Knockout | Review

Caos, momentos de tensão e jujubas coloridas garantem a diversão

Priscila Ganiko Publicado por Priscila Ganiko
Fall Guys: Ultimate Knockout | Review

Com premissa simples, jujubas coloridas, leis da física duvidosas e um monte de oportunidades para que os jogadores sacaneiem uns aos outros, Fall Guys: Ultimate Knockout conquistou um espaço no  PC e no PS4 de muita gente logo no lançamento — o game ultrapassou a marca de 1,5 milhão de jogadores em de 24 horas (veja).

O jogo, desenvolvido pela empresa Mediatonic e publicado pela Devolver Digital, coloca 60 pessoas para disputar as mais variadas provas de sobrevivência: corridas com obstáculos, paredes que podem empurrar os jogadores para fora da plataforma, um circuito de gangorras enormes, discos giratórios, e até mesmo um pega-pega envolvendo rabos dourados e brilhantes. Por vezes, é necessário ser o mais rápido a atravessar o circuito, e, em outras, passa para a próxima etapa quem ficar mais tempo vivo. É uma corrida maluca e engraçada, que pode ser jogada com um grupo de até quatro pessoas, mas no final só pode haver um vencedor — como em um battle royale, mas sem a troca de tiros.

Simplicidade que entretém

O ponto em que Fall Guys realmente se destaca é na simplicidade. Com um botão para salto, um para se impulsionar para frente (tipo um mergulho) e outro para agarrar, o game aposta nas habilidades e na sede de vitória dos jogadores para criar momentos de tensão, hilários ou até mesmo épicos.

Somando isso com seu visual fofinho e colorido, o jogo consegue atingir um grande público e chamar a atenção tanto de quem só quer dar umas risadas em duas ou três partidas, quanto de quem vai se dedicar a pegar todas as conquistas — até mesmo a que exige que o jogador termine em primeiro lugar cinco vezes seguidas.

As partidas são divididas em provas, e a quantidade de etapas pode variar bastante. Em algumas sessões, foi necessário disputar quatro mapas para só então chegar ao final, enquanto em outras, apenas três fases decidiram o resultado. As modalidades e competições são decididas aleatoriamente, então é possível que aquela fase particularmente difícil não apareça, ou que seja logo uma das primeiras. Em poucas partidas, já havia estabelecido minhas provas favoritas — uma que é tipo um jogo da memória com plataformas que desaparecem — e as que mais detestei — estou olhando para você, fase do circuito de obstáculos com lava.

A fase do Rei da Montanha tem diversos obstáculos até a Coroa

O desafio que determina o grande vencedor também varia. Os exemplos que vi de mapa final são: Rei da Montanha, que acaba quando alguém completa o percurso e consegue pegar a coroa; um pega-pega em que os jogadores competem para ver quem fica com um rabinho dourado ao final do tempo; e um teste de sobrevivência com plataformas que desaparecem quando você pisa sobre elas.

Ao perder, o jogador tem a opção de sair da partida ou de continuar assistindo. Em uma das vezes que decidi assistir até o fim, aprendi várias táticas diferenciadas que me ajudaram em próximas jogatinas.

Ao sair da sessão, você é recompensado com experiência e o dinheiro roxo do jogo de acordo com o número de provas disputadas — aqui, as provas assistidas não contam. Conforme vai avançando de nível, ganha recompensas em um sistema que lembra muito o Passe de Batalha de games como Apex Legends e Fortnite.

Diversão compartilhada

Embora o jogo seja bastante divertido sozinho e a competição seja individual, é bem engraçado se unir a um grupo de amigos para enfrentar os desafios. Se estiver com outras pessoas, o game sempre manterá você e seus amigos juntos quando houverem provas em equipe, o que pode ser de grande ajuda na hora de coordenar um ataque, bolar estratégias ou até mesmo pedir ajuda.

Em mapas separados por equipe, você e seus amigos sempre caem no mesmo

Outra maneira de compartilhar a diversão de Fall Guys é através do streaming. Por sua natureza competitiva e a imprevisibilidade dos adversários, o título é ótimo para criadores de conteúdo. Como tudo é muito visual, as mecânicas e regras são bem fáceis de assimilar e, portanto, tornam-o interessante de assistir.

Ao jogar nos primeiros dias após o lançamento, porém, é preciso um pouco de paciência. A estreia foi um pouco conturbada por conta do grande volume de jogadores tentando acessar os servidores, o que causou instabilidades e períodos em que o jogo ficou indisponível tanto no PlayStation, onde foi distribuído gratuitamente para assinantes da PS Plus, quanto nos computadores, através do Steam.

Microtransações

As “jujubas” podem ser personalizadas com novos padrões, cores e itens desbloqueados na progressão de níveis ou comprados com dinheiro do jogo e através de microtransações. A loja funciona de forma rotativa e os itens oferecidos são trocados periodicamente.

Quem fizer a compra do game via Steam garante uma roupinha especial de Gordon Freeman com direito a headcrab e tudo. Essa, e a recém anunciada skin de Hotline Miami (veja) deixam bem claro que há a intenção de fazer crossovers com outras franquias — a conta do jogo no Twitter já está até mesmo recrutando Cyberpunk 2077 e The Witcher (confira aqui).

Fall Guys: Ultimate Knockout usa de simplicidade para gerar o caos e dar aos jogadores a possibilidade de criar momentos hilários. O game pode trazer o tão esperado momento de glória ao conquistar uma fase particularmente difícil ou fazer você passar muita raiva porque algum “amiguinho” te jogou para fora da plataforma. Seja qual for o resultado, a diversão é garantida e não há nada que te impeça de tentar chegar ao topo novamente — dando várias risadas no processo.


O review foi feito com uma cópia da versão de computador do jogo, cedida pela Devolver Digital. Fall Guys: Ultimate Knockout está disponível para PC e PlayStation 4.