Esse cachorro robô aprendeu a se levantar se for derrubado

Foi treinado com o auxílio de oito redes neurais e consegue tomar decisões instantaneamente

Priscila Ganiko Publicado por Priscila Ganiko
Esse cachorro robô aprendeu a se levantar se for derrubado

Tal qual Rocky Balboa, esse cachorro robô consegue se levantar rapidamente caso seja derrubado por um humano sem coração.

Equipado com o auxílio de uma rede neural, o cachorrobô, que leva o nome de Jueying, consegue responder rapidamente a situações adversas como quedas, até mesmo em terrenos irregulares.

Para treiná-lo, especialistas da Universidade de Chequião, na China, firmaram uma parceira com a Universidade de Edimburgo, na Escócia, e desenvolveram uma arquitetura de aprendizado capaz de fazer com que o robô pudesse reagir a influências externas e imprevistas.

Foram usados oito algoritmos especializados em diferentes habilidades, cada um deles equipado com redes neurais que ensinaram uma versão digital do robô a fazer certas coisas, como trotar e se levantar. Quando tomava uma decisão correta, essa versão virtual era recompensada, e, caso contrário, ganhava um ponto negativo digital.

Zhibin Li, da Universidade de Edimburgo, explica que o ambiente virtual amplia as possibilidades quase indefinidamente, portanto, podem apresentar qualquer tipo de situação ao Jueying:

No ambiente simulado, posso criar todos os cenários possíveis. Posso criar ambientes diferentes ou configurações diferentes. Por exemplo, o robô pode começar deitado, em pé, caindo, etc.

Jueying consegue se levantar mesmo após rolar de uma escada | Imagem via Wired

Os oito algoritmos também foram programados para trabalhar juntos, combinando suas habilidades para um resultado melhor.

No GIF abaixo, as barras no canto indicam quais algoritmos estão sendo utilizados enquanto o cachorrobô atravessa uma área cheia de pedregulhos.

Via Wired

E no vídeo abaixo, disponível neste tuíte, podemos ver a situação recriada com o robô de verdade:

O aprendizado é útil não apenas para que Jueying consiga continuar seu trabalho mesmo com humanos chatos o empurrando, mas também para que consiga identificar meios de superar imprevistos e atravessar áreas desconhecidas sem a necessidade de modificações em sua programação.

Com informações do Wired.