“Doom Eternal é um jogo de videogame, não é uma experiência cinematográfica”, diz produtor

Novo jogo terá demônios de Doom II repaginados, armas clássicas modificadas e tudo o que o fã espera

Jeff Kayo Publicado por Jeff Kayo

Um dos anúncios mais esperados da Bethesda na E3 2019 era DOOM Eternal. E o jogo chegou frenético, com muitos elementos na tela ao mesmo tempo, violento, enfim, tudo o que se espera de um game da franquia.

Além de jogar por cerca de uma hora o novo título, conversamos com Marty Stratton, produtor executivo, e Hugo Martin, diretor criativo do jogo. Os dois mostraram paixão pela franquia, vontade de agradar aos fãs mais antigos, mas sem deixar de trazer algo novo para DooM.

NerdBunker: Acabei de jogar cerca de uma hora de DOOM Eternal… E foi uma experiência muito louca! Tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo. Vocês tinham isso em mente quando pensaram no jogo?

Marty Stratton: Essa experiência que você teve é como se você já estivesse jogando há algum tempo, tudo o que tem ali já teve uma explicação antes no jogo. E aí, você sentir que é meio esmagador é…

Mas é de um jeito divertido!

M.S: Sim, de um jeito divertido! Absolutamente! E eu espero que também tenha sido desafiador, e que tenha feito você mergulhar no jogo, pensar em como usar cada ferramenta que você aprendeu ao longo do jogo.

Foi desafiador também a verticalidade do jogo, no sentido de escalar e ter essa visão diferente do que estou acostumado…

Hugon Martin: Isso é mais ou menos no meio do jogo e você já seria um mestre nisso a essa altura. Nós estamos trabalhando em como você se prende à parede, qual a distância que permite que você se prenda, se você precisar se prender no último minuto… Então, é uma habilidade que você adquire ao longo do jogo e que é recompensador quando você consegue superar esses desafios.

Para nós, incluir tudo isso, é sobre fazer todos os aspectos do jogo o mais atraente para os jogadores.

Nós não temos medo de matar o jogador, porque é matando que você o ensina. Só nos preocupamos com que não seja o jogo a fazer isso… Que fique claro que, se você morreu, é porque teria que ter feito algo diferente.

Da esquerda para direita: Hugon Martin, diretor criativo, e Marty Stratton, produtor executivo.

E sobre o multiplayer?

M.S: Basicamente, pegamos a experiência que as pessoas adoram em DOOM, caçadores contra demônios, e agora você pode fazer isso com seus amigos. O “battle mode” é uma experiência social: é um caçador com todos os poderes desbloqueados contra outro jogador usando um demônio.

Jogando com um demônio, você precisa pensar melhor, usar uma estratégia. Você pode trazer outros demônios para a batalha para criar armadilhas ou bater no outro jogador. Cada demônio tem diferentes movimentos e estilos. E tudo pode ser usado em uma “batalha de arena”, basicamente.

Como é trabalhar em uma franquia tão antiga? Um clássico no mundo dos games.

H.M: Nos fizemos o melhor possível e estamos confiantes com isso. Nós estamos conectados com o público e basicamente fazemos o que pensamos que é melhor para DOOM. Não estamos tentando seguir tendências… Só fazer o que faz sentido para um jogo de DOOM. Quando as pessoas gostam, é ótimo porque podemos fazer mais vezes!

M.S: Nós nos inspiramos nos outros títulos da franquia e pegamos a energia deles também. Você agora joga uma experiência muito moderna, mas pode ver o legado de DOOM aqui. (…) Nós trouxemos alguns demônios de DOOM II, por exemplo. Os fãs dos últimos 25 anos vão reconhecer isso! Estão com um visual moderno, incrível, isso faz o fã mais antigo se sentir feliz também.

E sobre as armas, alguma novidade?

H.M: Nós quisemos que tudo estivesse balanceado. Se o risco for alto, a recompensa também é alta. O Rocket Launcher, por exemplo, está mais poderoso do que no jogo anterior, mas também está mais lento. Então, alguns inimigos conseguem desviar dos misseis. E também causa mais dano ao jogador e há menos munição. Faz com que você respeite mais a arma.

A ideia em geral é que você saiba utilizar bem cada ferramenta. A arma é sua ferramenta, o adversário é o seu problema. Você tem que ter certeza que escolheu a arma certa para cada situação. Tudo é feito para o jogo.

Doom Eternal é um jogo de videogame, não é uma experiência cinematográfica, não é uma experiência imersiva — é um jogo de videogame.

DOOM Eternal será lançado para Nintendo Switch, Xbox One, PlayStation 4 e PC no dia 22 de novembro de 2019.