Demon Slayer e o episódio que surpreendeu a todos

A batalha entre Tanjiro e um dos Doze Demônios da Lua resultou no melhor momento da série até então

Tayná Garcia Publicado por Tayná Garcia
Demon Slayer e o episódio que surpreendeu a todos

Animes mais populares, no estilo bom e velho “shonenzão”, muitas vezes seguem um padrão, certo? Vemos elementos parecidos entre eles com bastante frequência. Demon Slayer, naturalmente, não fugiu dessa “regra”. Existem estruturas narrativas que já vimos em várias outras animações. No entanto, o episódio 19, “Hinokami”, chegou para provar que o tal padrão, o uso do clichê, quando bem feito, não importa.

Desde o início do arco da floresta, que coloca Tanjiro, Zenitsu e Inosuke contra uma poderosa família de oni, o anime se elevou a outro patamar em diversos aspectos, que alcançou seu ápice no episódio do último sábado (10) que gerou ótimas reações nos fãs.

Nele, Tanjiro e Nezuko estão enfrentando o primeiro dos Doze Demônios da Lua — em outras palavras, um dos demônios mais fortes que já apareceram no anime. Então todos nós sabíamos que não seria algo fácil.

O episódio funciona muito bem no sentido de criar tensão e expectativa: cenas da luta, que não economizaram no orçamento, tão bonitas quanto em qualquer longa-metragem, intercaladas com a história dos personagens. Mas esses momentos de flashback não estão lá por acaso, também adicionaram novas informações e até mesmo mistério à trama.

Tudo isso dentro de pouco mais de 20 minutos.

Como por exemplo, Tanjiro se lembrar de seu pai, que estava abatido por alguma doença desconhecida, para “reaprender” uma técnica de resistência que lhe foi ensinada quando pequeno. Enquanto isso, Nezuko consegue manter a sanidade ao ser “visita” pela mãe e surpreender com uma habilidade envolvendo o seu sangue. E, no meio de tudo isso, o laço familiar dos personagens — que tanto deu inveja ao oni — se provou ser o maior poder deles.

A construção de o episódio culminou em um dos momentos mais emocionantes do anime, que contou com a imensa ajuda do contraste entre a trilha sonora calma, composta por Go Shiina, e as cenas de ação, animadas pelo estúdio Ufotable.

A cena foi tão bem recebida pelos fãs, que o estúdio foi inundado por elogios por espectadores do mundo todo e acabou agradecendo o carinho de todos em seu Twitter oficial — em várias línguas!

“Obrigado por assistirem e acompanharem Demon Slayer. Nós estamos começando a aprender como se comunicar com todos vocês que estão por todo o mundo. Obrigado.”

Em comparação com o mangá, alguns momentos foram alterados ou expandidos, deixando a batalha mais intensa, longa e visualmente impressionante — o que acabou fazendo muitos fãs pensarem algo incomum: a adaptação para anime conseguiu superar o mangá.

No fim, podemos concluir que, sim, a história de Demon Slayer é, de certo ponto, genérica, dentro do “padrão” shonen. Mas tudo é tão bem feito e visualmente lindo, que nada disso incomoda. Bem pelo contrário!

Uma coisa é certa: se o anime continuar melhorando cada vez mais, vou ter que aprender algumas técnicas de respiração do Tanjiro para manter o fôlego para os próximos episódios.