Star Wars – Catalyst: A Rogue One Novel | Livro ajuda a entender o contexto de Rogue One

Um pouco mais sobre Galen Erso e a formação do Império

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
Star Wars - Catalyst: A Rogue One Novel | Livro ajuda a entender o contexto de Rogue One

Atenção: pode conter spoilers de Rogue One: Uma História Star Wars

Se no passado os filmes eram tudo o que importava, hoje os fãs da franquia precisam consumir jogos, quadrinhos e livros para terem um entendimento real de tudo que é canônico na saga. Analisando dessa maneira, Star Wars – Catalyst: A Rogue One Novel torna-se leitura indispensável para aqueles que querem conhecer mais os personagens de Rogue One e para todos que desejam saber mais do universo criado por George Lucas.

A trama começa pouco depois do final de Star Wars – Episódio II: O Ataque dos Clones e logo de cara somos apresentados a um dos destaques do livro: a relação entre Galen Erso e o Diretor Krennic. É legal destacar como o autor James Luceno tornou sua história menos maniqueísta, dando tons de cinza aos personagens. Nesse aspecto, vale frisar que Krennic nunca ameaçou Erso ou o forçou a construir as tecnologias que permitiram a Estrela da Morte ser construída — o antagonista manipulou o cientista de forma com que esse, por um instante, acreditasse que seu trabalho beneficiaria a Galáxia. O arco dramático dos dois torna-se extremamente complexo e é refletido diretamente nas poucas interações que vemos entre eles no filme.

catalyst

Outro ponto positivo do livro é mostrar como o Império foi se estabelecendo gradualmente. É curioso ver como Tarkin e outras cabeças do movimento enfrentando problemas como a falta de Stormtroopers ou a escassez de uniformes imperiais. Mais uma vez, Tarkin é o grande vilão da história. Sua relação com Krennic é ainda mais conturbada em relação ao que foi mostrado no filme e os dois protagonizam os melhores diálogos do volume. Luceno também consegue ser eficaz ao trazer pequenas alusões políticas do nosso mundo à trama — o Império aqui se assemelha mais aos EUA de George W. Bush do que à Alemanha Nazista, como ocorreu nos sete filmes da saga. Em dado momento, um personagem fala algo sobre trazer a grandeza da Galáxia de volta. Lembra alguém?

Galen Erso se torna uma das figuras mais interessantes da trama — o autor sabe como apresentar o conflito interno do cientista, aproximando-o da figura de J. Robert Oppenheimer, líder do projeto que construiu a Bomba Atômica na Segunda Guerra Mundial. Saber de toda essa luta moral do personagem dá a ele um peso ainda maior quando se assiste ao filme, onde parece que sua vingança foi motivada apenas pelo assassinato de sua esposa. Por outro lado, Krennic é construído de forma bastante rígida, se apresentando como um alpinista social que deseja apenas evoluir em sua carreira.

Apesar de apresentar momentos altamente arrastados e expositivos, Star Wars – Catalyst: A Rogue One Novel se mostra como uma leitura divertida e necessária para se ter uma nova perspectiva de Rogue One: Uma História Star Wars, aprofundando seus personagens e dando mais densidade às situações ali mostradas. Prato cheio para todo fã da saga.

O livro ainda não foi publicado no Brasil.

Mais notícias