Criador de Super Smash Bros. comenta sobre o Nintendo Switch

Sakurai deu sua opinião sobre o console e como a plataforma impacta o desenvolvimento de jogos da empresa

Jefferson Sato Publicado por Jefferson Sato
Criador de Super Smash Bros. comenta sobre o Nintendo Switch

O designer Masahiro Sakurai, conhecido por ser o criador de Super Smash Bros., publicou uma coluna na revista Famitsu nesta semana, onde falou sobre a Nintendo e seu novo console, o Switch (via Source Gaming).

Uma das grandes surpresas para ele foi a data de lançamento, que ele considerou achou muito mais cedo do que imaginava.

As pessoas tendem a pensar em mim como alguém que trabalha apenas com ou para a Nintendo, mas eu na verdade não sabia dessas informações até ver a apresentação. Eu realmente vou poder jogar Breath of the Wild em 3 de março? Quase não parece real.

Ele também disse que considerou o valor bastante razoável para o que o console oferece, considerando também a tecnologia utilizada. “Os controles têm um monte de transmissores e receptores, o que os torna caros, mas o Switch vem com dois”, comentou.

Outro fator que elogiou foi o fato do console não ter trava de região. “Como alguém que gosta de jogar um monte de games de outras regiões, fico bastante feliz”, revelou.

Em seu texto, Sakurai aproveitou para defender o uso do serviço online pago que será oferecido no console:

Até agora, a Nintendo geralmente permitiu que usuários jogassem online de graça. No entanto, isso tem um custo. Especialmente quando um console tem um monte de jogos com um longo ciclo de vida, você percebe que oferecer serviços online gratuitos simplesmente não faz sentido financeiramente. Você pode achar difícil de aceitar ou entender que um serviço que era dado de graça para você agosta custa dinheiro, mas, como um jogador, eventualmente isso fará sentido para você.

Por fim, ele também comentou sobre o impacto que a plataforma terá na divisão de desenvolvimento de jogos da Nintendo. Segundo ele, a empresa sempre dividiu suas equipes entre suas plataformas, mas por conta da natureza do Switch, será possível unir os times de criação. “De forma simples, podemos esperar um grande aumento no poder de desenvolvimento da Nintendo”, explicou Sakurai.

Por causa da complexidade, profundidade e conteúdo esperado de jogos modernos, esta abordagem pode ter alguns pontos negativos, mas acho que conseguir aumentar sua capacidade de desenvolvimento hoje em dia é algo para celebrar. Porque, no fim, softwares são o que decidem o sucesso e o fracasso, não os detalhes de hardware.

Nintendo Switch chegará às lojas em 3 de março de 2017. Confira todos os detalhes do console aqui.

Mais notícias