Creed II | Florian Munteanu pensa em abandonar o boxe para viver como ator [Entrevista]

"Sei que sou um bom ator e quero ver o quão longe eu posso ir"

Redação NerdBunker Publicado por Redação NerdBunker
Creed II | Florian Munteanu pensa em abandonar o boxe para viver como ator [Entrevista]

Foi assim com The Rock, Ronda Roussey e Arnold Schwarzenegger… Todos eles eram esportistas de sucesso e saíram da suas zonas de conforto para ousarem no mundo da atuação. Agora é a vez de Florian Munteanu tentar a sorte em Hollywood como o antagonista de Creed II.

Desde pequeno, Munteanu praticava boxe e sonhava ser tornar um lutador profissional na Alemanha. Ele entrou para a faculdade de esportes e participou de inúmeras competições profissionais no mundo da luta. Mas tudo mudou quando um convite de Sylvester Stallone chegou na caixa de e-mails do seu agente. Depois de um longo processo de testes, ele conseguiu seu primeiro papel em um longa-metragem. E não foi em um filme qualquer: logo de cara, Munteanu estava em uma franquia quadragenária.

O papel em Creed II não deve ser exceção na vida do lutador. Ele pretende continuar na carreira de ator e deve abandonar o mundo do boxe. “Tenho certeza que eu sou um bom ator e definitivamente quero ver o quão longe posso ir”, afirmou o ator em entrevista ao NerdBunker, no set do filme, na Filadélfia (veja aqui!)

Eu sou um cara que, quando eu vejo que sou minimamente bom em algo, quero fazer mais disso e ser bom de verdade.

Quando você começou a lutar boxe?

Eu comecei com dez anos. Cheguei no nível máximo do boxe, a primeira divisão, lutei ao redor do mundo e o plano sempre foi ser profissional na luta, mas… algo maior veio até mim. E esse algo é esse filme!

De Arnold Schwarzenegger até o Dwayne Johnson, tivemos muitos atletas indo para o mundo do cinema e fazendo um sucesso estrondoso. Ir pra Hollywood era um objetivo seu ou foi algo que só aconteceu?

Eu vou ser muito sincero: nunca pensei que algo desse tipo fosse acontecer. Eu sou um cara que, quando eu vejo que sou minimamente bom em algo, quero fazer mais disso e ser bom de verdade. Então tenho certeza que eu sou um bom ator e tenho boas habilidades nessa área. Eu definitivamente quero ver o quão longe eu posso ir.

Como foi esse transição de lutador para ator?

Eu recebi uma ligação do meu agente falando que estavam procurando por alguém do meu físico e estavam interessados em mim. Eu tive que enviar três cenas gravadas como teste. Eles me responderam dizendo: “A gente gostou do que você fez, e queremos fazer uma chamada de Skype com o Stallone.” Fiquei incrédulo pensando “ok, será que isso vai mesmo acontecer?”

Então me passaram duas cenas pra eu decorar e ler com ele no Skype. Depois disso, eu tive que esperar mais duas semanas até decidirem que queriam me levar pra Los Angeles para conhecer o diretor. Eu fiz mais um teste e consegui convencer o Steven [Caple Jr., diretor do filme] em dezembro [de 2016] e aí foi isso.

Depois dessa experiência, você pretende voltar pro boxe ou quer continuar em Hollywood?

Pra ser sincero, eu acho que vou ficar nos filmes. Tem várias ofertas chegando pra mim porque o feedback foi muito bom e eu fico feliz porque me dediquei bastante. E eu gostei do que eu fiz, então acho que vou continuar atuando.

Como você enxerga a parte política do filme e a diferença da URSS que o Ivan Drago representava naquela época e a Rússia de hoje que você representa nesse filme?

Não posso falar muita coisa nesse quesito, mas será uma grande surpresa para quem for assistir. A forma como meu pai foi caracterizado em Rocky 4 é totalmente diferente do que eu sou nesse filme; mostramos um lado totalmente diferente dos Drago. Meu personagem não é um vilão típico como o Drago anterior — será um vilão que todos vão amar e se relacionar.

Qual a relação dupla do Adonis e do Viktor, no quesito de ele estar lutando com o filho do cara que matou seu pai?

O clima antes da luta dos dois é muito apimentado! Tanto pro Adonis, quanto pra mim, nós estamos lutando pelo nosso legado. Claro que temos pais famosos que são grandes campeões do boxe, mas nós estamos criando nosso legado. Nós dois queremos nos livrar do passado e criar algo inteiramente nosso.


No novo filme, Adonis Creed continua sua carreira como boxeador rumo ao campeonato mundial. Ele segue a sombra do seu pai e precisará enfrentar o filho de Ivan Drago em uma grande luta. No meio de tudo isso, Adonis precisará lidar com sentimentos de perdão ou vingança pelo filho daquele que matou seu pai.

Creed II já está disponível nos cinemas brasileiros. Confira a nossa crítica!