Bohemian Rhapsody | Editor do filme admite erros na montagem

Longa foi criticado por levar o Oscar de Melhor Edição

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
Bohemian Rhapsody | Editor do filme admite erros na montagem

No Oscar 2019, Bohemian Rhapsody levou o prêmio de Melhor Edição. Assim que o anúncio foi feito, muitas pessoas na internet (eu inclusive) começaram a reclamar da vitória, já que o longa foi pessimamente editado em algumas cenas. Uma, em especial, viralizou a internet, mostrando como o trabalho não tinha sido lá dos melhores:

Em entrevista ao Washington Post, John Ottman, editor do filme, disse que não sabia que a cena virou um meme. “Mas eu sei o porquê”, apontou.

Sempre que eu revejo essa cena, quero colocar um saco na minha cabeça. Essa não é a minha estética. Se um dia existir uma versão estendida do filme, na qual eu possa trabalhar em algumas cenas novamente, com certeza vou mexer nessa.

Como já se especulava, o caos no processo de produção interferiu no trabalho de Ottman. O diretor Bryan Singer foi demitido do projeto a três semanas do fim das gravações, e Dexter Fletcher (Rocketman) assumiu o papel, retrabalhando alguns momentos e dirigindo o restante do longa.

Após exibições de teste para o público, Fletcher concluiu que os espectadores queriam conhecer mais dos primeiros anos do Queen. Ottman então tornou as cenas do primeiro ato mais longas, porém, não teve tempo de retrabalhar a reunião entre o grupo e o executivo John Reid.

O editor também contou que passou várias semanas editando a sequência final, no Live Aid. “Não importa o quão bom o filme tinha sido até aquele ponto. Se o festival não funcionasse, tudo ia por água abaixo”, explicou Ottman. “Tinha que ser uma sequência exaustiva, de um jeito bom. Não podíamos dar a sensação de que estávamos cortando algo do público. Se o público percebesse os cortes, não seria a experiência que foi”, completou.

O Washington Post conversou com Aaron Yamamoto, que editou o filme Coração de Dragão. Na opinião dele, Ottman salvou Bohemian Rhapsody:

John impediu que esse filme uma bagunça completa, algo que aconteceria nas mãos de um editor menos talentoso do que ele.

Bohemian Rhapsody levou quatro Oscars, incluindo o de Melhor Ator, para Rami Malek. O longa atualmente é a maior cinebiografia de todos os tempos, tendo acumulado US$ 867 milhões nas bilheterias mundiais.

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1