[BlizzCon] O que há de novo em Heroes of The Storm

De onde veio a ideia do Cho'Gall?

Guilherme Jacobs Publicado por Guilherme Jacobs
[BlizzCon] O que há de novo em Heroes of The Storm

A BlizzCon 2015 está sendo um prato cheio para quem curte Heroes of The Storm. Só na cerimônia de abertura, um novo modo de jogo e  três personagens foram apresentados. Pra melhorar, um deles permite que duas pessoas controlem um herói em conjunto.

Para entender melhor o que isso tudo adicionará ao jogo, sentamos e conversamos com Matthew Cooper, game designer sênior da Blizzard, na BlizzCon.

Jovem Nerd News: Então, tá se divertindo na BlizzCon?

Matthew Cooper: Incrível. Assisti a abertura e fiquei animado com tudo aquilo. Eu estou na Blizzard há sete anos, sete anos e meio, e vim em toda BlizzCon de 2008 pra frente.

JNN: Ah, é minha primeira vez aqui.

MC: Como tem sido?

JNN: Incrivelmente cansativo, mas bem divertido mesmo. Agora, vocês mostraram muitas novidades de Heroes of The Storm. Vocês mostraram três heróis na cerimônia de abertura. Você poderia falar sobre eles?

MC: Claro, então, Lunara é uma personagem de Warcraft 3. Ela é uma assassina com alcance longo. Uma das coisas únicas nela é que ela não tem um monte. Ao invés disso, ela se move mais rápido que outros heróis. Acho que ela se move 20 ou 30% mais rápido. Então um pouco mais devagar que heróis montados, mas bem mais rápida que heróis a pé. O foco dela é em mobilidade alta, e seus ataques dão dano de veneno. Ela é boa para derrotar inimigos ao longo do tempo, e boa contra personagens de melee, que não tem muita mobilidade.

Graymane é outro personagem assassino. Ele troca entre forma humana e forma Worgen, então enquanto ele estiver como humano, ele é meio que um assassino de alcance. Você vai querer jogar com ele no estilo do Raynor, e começar a tirar a vida deles. Quando eles estiverem perto de morrer, então você troca para a forma Worgen e ir para matar, porque essa forma faz mais dano, mas é mais arriscada já que é de melee.

E deixando o melhor por último, Cho’Gall é controlado por duas pessoas. Então se seu time tá usando o Cho’Gall, ele vai ter quatro heróis na batalha.

JNN: Isso era algo que eu queria perguntar. Com dois jogadores, significa que você tem menos heróis?

MC: É, são cinco jogadores contra cinco jogadores, mas com o Cho’Gall ficam quatro heróis versus cinco heróis.

JNN: Ah bom, porque eu achei que vocês iam criar um time de seis jogadores para compensar.

MC: Não. Ainda é cinco contra cinco, mas o Cho’Gall toma dois lugares. O Cho’Gall é um guerreiro e assassino, essencialmente. Cho é o guerreiro, e quem joga como Cho controla o movimento, e Gall é o assassino que vai junto. E Gall faz muito dano alto. Ele é quase um mago. Eles tem muita sinergia entre suas habilidades, então o legal é se coordenar.

Gall, apesar de não controlar o movimento, pode dar uma corrida. Um aumento de velocidade para Cho. Então você tem que coordenar se o Cho está fugindo ou atacando, para o Gall usar.

JNN: Você poderia explicar melhor qual o papel de cada jogador controlando o Cho’Gall?

MC: Se você está jogando com Cho, pense em você como um herói normal. Você tem todo o movimento normal, um QWER, um sistema de talento. Você é meio que um personagem normal nesse sentido. Você é mais valioso porque você vale dois kills, então tem que se preocupar mais com posicionamento e coisas assim.

Gall é um pouco diferente. Você não controla o movimento, mas ainda tem uma série de habilidades completas e um sistema de talento. Então Gall é focado em preparar suas habilidades e fazer o máximo de dano possível. Entre Cho e Gall há uma certa sinergia. Uma das habilidades de Cho é atirar uma espécie de pedra derretida, e o Gall pode fazê-la explodir.

JNN: Como que isso surgiu? Vocês estavam no escritório e alguém falou “como nós podemos quebrar amizades? Ah, vamos fazer dois jogadores controlarem um personagem.”

MC: Hahaha, definitivamente não temos a intenção de quebrar amizades. Com sorte vamos criar novas. Mas nós estamos sempre procurando explorar o que podemos fazer dentro desse gênero, desse jogo. Foi disso que saíram os Lost Vikings. Para o Cho’Gall foi sempre “o que acontece se dois jogadores controlarem um herói? O que isso significa para o jogo?” E significa muito!

JNN: Isso foi uma das coisas que alguém falou numa reunião, “e se dois jogadores controlarem um herói” e vocês ficaram meio “isso é uma piada?”

MC: Alguém com certeza perguntou se era uma piada hahaha. Nós queremos continuar a adicionar personagens que testam o que você pode fazer nesse tipo de jogo.

JNN: E agora vamos pra Arena, o novo modo. Para alguém que não entende MOBAs, o que é tão especial sobre ter um objetivo único?

MC: Os nossos campos de batalha normais, temos uns nove agora, algo assim. Você joga neles através do Quick Match ou Ranked Play e as partidas tem 20 minutos, cinco contra cinco. Há diferentes objetivos. Você começa do nível 1 e conforme vai jogando pode chegar até, sei lá, 20. Escolhendo talentos ao longo do caminho, completando objetivos. E eventualmente você vai querer matar todas as bases do inimigo, e é assim que você ganha.

Em Arena, nós condensamos essa experiência para mais ou menos quatro minutos.

JNN: Rápido assim?

MC: Você joga uma melhor de três em Arena. Na primeira partida vamos escolher três heróis aleatoriamente pra você, do mesmo arquétipo. E você escolhe um deles. Todo mundo na sua equipe e na outra equipe também está fazendo isso. E podem acontecer de termos heróis repetidos. Então sua equipe pode ter, sei lá, três Diablos. E quando você começa a partida, o mapa é bem menor, e os times começam no nível 10 e não avançam. Você escolhe sua habilidade heróica e começa.

JNN: Então não há aumento de nível em Arena?

MC: Não, você começa no nível 10 e continua no nível 10. Você escolhe a habilidade heróica e as partidas duram mais ou menos quatro minutos.

JNN: Você disse que é melhor de três, então cada round dura mais ou menos quatro minutos ou é o todo?

MC: Cada round, como um todo deve sair entre oito e 12 minutos.

JNN: Agora, eu tenho que perguntar. Na cerimônia de abertura o pessoal do Overwatch anunciou que a Tracer está vindo para o Heroes. Quando eu entrevistei vocês na Gamescom, perguntei se estavam de olho em Overwatch, e veio aquela resposta corporativa.

MC: Faz parte hahaha.

JNN: Foram vocês que escolheram a Tracer, ou foi porque ela é uma das mais populares, ou o pessoal do Overwatch que pediu “hey, dá pra fazer a Tracer?”

MC: Foi uma coisa colaborativa, com certeza. Eu acho que a Tracer é uma das personagens icônicas daquele jogo. Ela está no trailer cinematográfico. Ela tem muita personalidade. Nós queríamos adicionar ela, e eles queriam que a gente adicionasse ela.

JNN: Você pode falar sobre como vai ser o gameplay dela?

MC: Nós não estamos divulgando muitos detalhes sobre ela. Mas eu posso dizer que personagens de Overwatch são transportados tranquilamente pro Heroes. Quando você olha pra aquele tipo de jogo. [Overwatch] é seis contra seis, Heroes é cinco contra cinco. Heróis. Habilidade.

JNN: Overwatch é um shooter, então talvez ela vá atirar algo?

MC: Talvez ela tenha uma arma hahaha. Mas a Tracer foi transportada tranquilamente pra nosso jogo. Tivemos que fazer algumas mudanças, mas no geral foi tranquilo.

JNN: Ela vai ser exclusiva pra pessoas que comprarem a edição especial do Overwatch?

MC: Eu não tenho certeza. Eu sei que nós anunciamos que se você fizer a pré-compra daquela edição especial você ganha ela. Eu suponho que seja como Artanis. Se você comprasse o Starcraft 2: Legacy of The Void, ganhava acesso a Atrais. Então eu suponho que ela vai ser disponibilizada depois.

JNN: Tranquilo então, obrigado pelo tempo.

MC: Obrigado. Boa BlizzCon.

Mais notícias