Batman no Cinema: as mudanças no personagem através do tempo

Com a chegada de Ben Affleck, inicia-se mais uma fase do personagem nos cinemas

Guilherme Jacobs Publicado por Guilherme Jacobs
Batman no Cinema: as mudanças no personagem através do tempo

Amanhã começa mais uma era do Batman nos cinemas. Com a estreia de Batman vs. Superman: A Origem da Justiça, veremos outra encarnação do personagem nas telas pelo mundo todo, agora com Ben Affleck interpretando Bruce Wayne e Zack Snyder dirigindo. É uma pegada mais firmada nas raízes de quadrinhos do herói, tanto no visual quanto no seu conceito.

Adam West Batman

Tubarões e Bombas

O primeiro filme do Batman que realmente trouxe um impacto permanente da cultura pop saiu em 1966 quando Adam West interpretou o personagem numa versão inesquecível do herói, nem que seja pelo seu potencial de humor. O longa gerou várias piadas que até hoje são relacionadas ao Cavaleiro das Trevas, que, na época, nem era tão conhecido por esse apelido.

O filme também é, até hoje, o longa do personagem com mais membros do seu mundo. Alfred, Robin, Coringa, Pinguim, Mulher-Gato e Charada todos aparecem. West, por sua vez, cumpre bem o papel na pegada de humor que é proposta.

Batman Keaton

Keaton e Burton

Então entramos na primeira fase blockbuster do Batman, quando Tim Burton e Michael Keaton entraram na brincadeira. Com o lançamento de O Cavaleiro das Trevas (1986), A Piada Mortal (1988) e Asilo Arkham (1989) nos quadrinhos, a visão bem-humorada e quase cômica do personagem começou a ser quebrada, levando o herói para as ruas, a noite e a escuridão.

Batman (1989) e Batman: O Retorno (1992) saíram depois dessas HQs, e ajudaram a fazer isso num nível maior. Apesar de não serem tão sombrios e realistas quanto versões posteriores, vamos chegar nelas já já – esses filmes tem uma pegada completamente diferente da de 1966, e Burton trouxe todo o seu estilo visual para Gotham City. Em termos de vilões, Jack Nicholson como o Coringa é sem dúvida a escolha mais famosa.

De qualquer forma, os filmes, particularmente o primeiro, lançaram o Batman ainda mais pra cima dentro do mundo da cultura pop. O morcego negro no círculo amarelo passou a ser reproduzido mundialmente, e continua até hoje.

Batman and Robin Lol

Joel Schumacher (ou: vamos esquecer que isso existe)

Se tem uma fase que todos os fãs do Batman gostariam de esquecer, é essa. Joel Schumacher dirigiu Batman Eternamente (1995) e Batman e Robin (1997). Eles foram cheios de escolhas estranhas quanto ao tom, visual e história, e particularmente o segundo filme manchou o personagem de uma maneira incrível. Afinal de contas, eram bar-mamilos!

Val Kilmer viveu Batman em Eternamente, e George Clooney assumiu o papel na continuação. Não há duvidas de que este foi o período mais frio do Cruzador Encapuzado nos cinemas. Mesmo com atores de alto calibre – Arnold Schwarzenegger, Uma Thurman, Tommy Lee Jones e Jim Carey participaram dos filmes – a recepção foi negativa. De 1989 até 1997, não passamos mais de três anos sem um filme do Batman, mas agora, seriam oito anos até que Gotham voltasse para as telonas.

Dark Knight Batsuit

Trilogia Nolan

Considerada por muitos a melhor interpretação do Batman nos cinemas até agora, a trilogia Nolan – Batman Begins (2005), O Cavaleiro das Trevas (2008) e O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012) – trouxe uma pegada realista para o personagem. Os filmes perguntavam como seria se um cara resolvesse se vestir de morcego e aterrorizar bandidos no mundo real.

Seus vilões agora planejavam ataques terroristas, seu carro era basicamente um tanque de guerra e sua roupa uma armadura paramilitar. O Batman de Nolan se encaixava em histórias de suspense que existiriam mesmo num filme sem identidades secretas ou máscaras. As histórias de suspense alcançaram audiências que normalmente ficam fora das adaptações de quadrinhos e trouxeram um outro tipo de reconhecimento para o meio.

Christian Bale interpretou Bruce Wayne, mas a atuação que marcou a trilogia foi sem dúvidas Heath Ledger como o Coringa. Em uma das melhores versões do personagem até agora, Ledger trouxe pra telona uma figura ameaçadora, imprevisível e bizarra na medida certa. Boa sorte pra quem vem depois dele.

LEGO Batman Movie 2

Darkness, No Parents!

No meio disso tudo, uma das versões mais divertidas do Batman veio com Uma Aventura LEGO, animação de Phil Lord e Chris Miller onde Will Arnett vez a voz do personagem no que era basicamente uma paródia dos seus clichés. Esse é um Batman que canta “Darkness, No Parents!” e diz que só usa preto ou cinza muito, muito escuro.

O LEGO Batman de Arnett é genial pela forma como ele explora certos elementos do personagem que já ficaram batidos ao longo dos anos, e não tem medo de rir de si mesmo. Vai ser divertido ver mais dele em 2017 com The LEGO Batman Movie.

batman-vs-superman-bilheteria

Batfleck

O que nos traz para a atualidade. Ben Affleck foi uma das escolhas mais polêmicas para viver o Batman até hoje. Para muitos, o ator traz lembranças negativas de um outro filme de herói, Demolidor (2003), mas as coisas mudaram bastante de lá pra cá, e Zack Snyder não está se preocupado com realismo ou humor na hora de construir sua interpretação do homem-morcego.

O Batman de Affleck, apelidado de Batfleck, é uma das versões mais claramente inspiradas por HQs até agora. Seu visual, e o fato dele ter uma idade mais avançada, foram cuspidos de O Cavaleiro das Trevas, quadrinho seminal de Frank Miller que citamos acima. Também é a pegada mais física do personagem até agora. Affleck ficou gigante para o papel, e veremos ele lutando de uma maneira mais clara e violenta quando Batman vs. Superman estrear.

Kevin Conroy Batman

A Voz do Batman

Okay, esse cara não está em nenhum filme com atores do Batman, mas se alguém é o Batman definitivo, é Kevin Conroy. O ator faz a voz do personagem em animações e jogos desde 1992, com Batman: The Animated Series. Ele continuou no papel no ótimo filme Batman: Máscara do Fantasma, em Justice League: The Animated Series e muito mais.

Em termos de filmes de animação, Conroy dublou o Batman em inúmeras ocasiões, como Liga da Justiça: A Legião do Mal, Liga da Justiça: Ponto de Ignição e Superman & Batman: Apocalipse. Ele também participou de jogos como Injustice e a excelente trilogia Batman: Arkham da Rocksteady.

Conroy foi sempre acompanhado por outra pessoa: Mark Hamill. Quando ele não estava ocupado salvando uma galáxia distante como Luke Skywalker, Hamill interpretou o Coringa em várias ocasiões. O que nos leva a outro filme.

Vale ressaltar também a dublagem brasileira do Batman na Liga da Justiça e também na clássica, Animated Series, com Márcio Seixas – “o” Batman no Brasil!

Em 2016, Conroy e Hamill voltarão aos seus papéis para uma adaptação da história mais icônica de Batman e Coringa, A Piada Mortal.

Ilustração por Michael DiMotta

div-ad-vpaid-1
div-ad-sidebar-1
div-ad-sidebar-halfpage-1