Associações pedem que OMS reconsidere decisão de classificar vício em games como distúrbio

Eles alegam que é preciso de mais evidências concretas para tal classificação

Tayná Garcia Publicado por Tayná Garcia
Associações pedem que OMS reconsidere decisão de classificar vício em games como distúrbio

Várias associações de videogames e tecnologia ao redor do mundo se reuniram para divulgar uma declaração que pede para a OMS reconsiderar a decisão de classificar o vício em games como um distúrbio.

Eles alegam que é preciso de mais evidências concretas para tal classificação porque a decisão refletirá em incontáveis vidas.

A indústria global de videogames — incluindo representantes da Europa, Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Coreia do Sul, África do Sul e Brasil — se reuniu para pedir para a Organização Mundial de Saúde (OMS) que reconsidere o mais rápido possível a inclusão do “Transtorno de jogos eletrônicos” na 11ª edição da Classificação Internacional de Doenças (CID-11). […] A OMS é uma organização estimada e suas classificações precisam ser baseadas em evidências transparentes, inclusivas e regulares embasadas por especialistas fora dela. O vício em videogames não se baseia em evidências suficientemente concretas para justificar sua inclusão em uma das definições de normas mais importantes da OMS.

Dentre as associações que participaram da declaração, estão a Entertainment Software Association (ESA), Entertainment Software Association of Canada, Interactive Games & Entertainment Association, Interactive Software Federation of Europe e Korea Association of Game Industry (K-GAMES).

A OMS já havia classificado inicialmente o vício como um transtorno mental no ano passado, mas a assembleia recente oficializou a nova versão do CID-11, que entrará em vigor a partir de 2022 (se não for alterada, conforme o pedido das associações).