Assistimos a Os Oito Odiados

Tudo está sempre prestes a explodir, mas a espera é prolongada por discursos muito bem calculados que fazem com que o público não desvie o olhar da tela por um único segundo

Marina Val Publicado por Marina Val
Assistimos a Os Oito Odiados

Os Oito Odiados é um filme que se passa alguns anos após o fim da guerra civil americana e mesmo que você nunca tenha ouvido falar do conflito, é possível entender exatamente o que aconteceu e até perceber algumas das motivações de cada um dos lados.

O filme traz oito personagens de destaque e, apesar de parecer um número muito grande para que cada um deles tenha tempo para ser memorável, eles são lentamente introduzidos uns aos outros e ao público. Cada um deles tem características e origens totalmente distintas, mas com uma coisa em comum: nenhum é flor que se cheire.

Eles realmente merecem a alcunha de odiados: são anti-heróis com um longo histórico de matanças ou defeitos imperdoáveis. Mesmo assim, todos acabam se desenvolvendo o suficiente para que o espectador se importe com eles, apesar dos desvios de caráter.

hatefuleight

Construindo a tensão e a claustrofobia

Neste longa, Tarantino conseguiu deixar os personagens mais próximos de uma maneira quase literal. O refúgio onde se passa a maior parte do filme é um local fechado com um chão de madeira que funciona como um palco de teatro. Unido a uma câmera mais fechada, ele passa a sensação de estarmos mais pertos dos atores.

O diretor parece ter ouvido as críticas sobre quais foram os pontos fortes de Bastardos Inglórios e se inspirou para criar grande parte da ambientação de Os Oito Odiados. O novo longa tem algumas cenas em locações abertas, mas a maior parte se passa em lugares enclausurados: primeiro dentro de uma carruagem e depois dentro do armarinho da Minnie.

A música de Ennio Morricone também ajuda a deixar tudo mais tenso, claustrofóbico e ainda mais próximo dos westerns clássicos. A sensação é de que tudo está sempre prestes a explodir, mas a espera é prolongada por discursos muito bem calculados que fazem com que o público não desvie o olhar da tela por um único segundo.

the-hateful-eight-still-1

Racismo e vingança

Quem já assistiu a algum filme do Tarantino sabe que o tema que mais permeia as obras dele é o da vingança. Seja a Noiva de Kill Bill retribuindo a violência cometida contra ela, as moças de À Prova de Morte contra um assassino que mata mulheres ou os judeus de Bastardos Inglórios tirando o escalpo de nazistas, existe sempre uma minoria em foco lutando contra uma injustiça.

Em Os Oito Odiados, o tema é claramente a questão de racismo. É possível ver semelhanças no discurso de alguns personagens com elementos do racismo institucionalizado que vemos nos Estados Unidos ou mesmo no Brasil.

Porém, por serem oito odiados, mesmo aquele que deveria ser a minoria se revoltando contra o grupo também alega ter feito coisas imperdoáveis. Não há um herói claro, assim como na vida real também não há.

Os Oito Odiados é um filme que reúne tudo que há de pior na humanidade. Não há como verdadeiramente se identificar ou se inspirar por alguns daqueles personagens, a menos que seja para repensar algumas atitudes e como nós tratamos uns aos outros.

hateful_eight_twc_2.0

A mensagem contra o racismo transmitida pelo longa é poderosa. E Tarantino consegue passá-la de uma maneira bem interessante e com detalhes que são característicos dos trabalhos dele.

Os Oito Odiados não vai fazer ninguém se converter a fã da carreira do diretor, mas se você já gosta das obras de Tarantino, este filme é uma versão um pouco mais polida de tudo que ele vem fazendo nas últimas décadas: tensão, violência, discursos impactantes e muito sangue.

Observação

Pela dificuldade em importar os equipamentos necessários, não haverá nenhuma sessão em Ultra Panavision aqui no Brasil, um dos formatos alardeados por Tarantino como uma maneira de engrandecer o filme. Os Oito Odiados se sustenta sem isso, então apesar de ser uma perda triste, não é nada que vá atrapalhar realmente a experiência. A versão que nós assistimos na cabine para a imprensa antes de fazer este review foi a mesma que você verá em qualquer cinema brasileiro.

Os Oito Odiados estreia em 7 de janeiro de 2016 no Brasil.

Mais notícias